Radio Calema
InicioMundo LusófonoBrasilEx-governador Garotinho é levado para quartel dos bombeiros após ser preso e...

Ex-governador Garotinho é levado para quartel dos bombeiros após ser preso e fazer exames no IML

Garotinho deixou a sede da PF, no Centro do Rio, sob gritos de ‘bandido’ e ‘corrupto’. Advogado diz que ida para o quartel foi para garantir integridade física do ex-governador.

O ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho foi levado para o quartel do Corpo de Bombeiros do Humaitá, na Zona Sul do Rio, no início da tarde desta quarta-feira (22), após ser preso e submetido a exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal. Inicialmente, a informação era que o ex-governador seria levado para a cadeia pública José Frederico Marques, em Benfica, mas posteriormente ele foi levado para o quartel.

De acordo com a defesa do ex-governador, a decisão foi tomada para garantir a integridade física do preso. “Quem determinou que ele ficasse aqui no quartel foi o delegado. Foi uma medida que ele verificou do risco que Garotinho poderia correr indo para o presídio onde Sérgio Cabral está e a quadrilha do PMDB. Uma questão de respeitar a integridade física dele”, afirmou o advogado Carlos Azeredo.

Garotinho foi preso nesta manhã no apartamento onde no Flamengo, na Zona Sul. Rosinha Garotinho, mulher dele e que também exerceu o cargo de governadora do Estado do Rio de Janeiro, foi presa em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense.

Quando deixou a sede da Polícia Federal no Rio de Janeiro, na Zona Portuária, por volta das 11h, populares xingaram o ex-governador com gritos de “bandido” e “corrupto”. Ele foi conduzido até o Instituto Médico Legal (IML), no Centro, para fazer exame de corpo de delito. Por volta das 11h30, Clarissa Garotinho, uma das filhas dele, chegou ao local para acompanhar o exame.

Segundo um agente da Polícia Federal, a prisão tem relação com a delação do Ricardo Saud, da JBS. Ao todo, foram expedidos 9 mandados de prisão e 10 de busca e apreensão pelo juiz eleitoral de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense.

Segundo a PF, a ação apura os crimes de corrupção, concussão, participação em organização criminosa e falsidade na prestação das contas eleitorais.

Rosinha Garotinho foi transferida, por volta das 11h40, da degacia da Polícia Federal para o presídio feminino Nilza da Silva Santos, em Campos.

De acordo com a defesa do casal, o objetivo é impetrar um habeas corpus no Superior Tribunal Eleitoral (STE), pedindo a soltura de Rosinha e Garotinho, ainda nesta quarta.

Segundo a Polícia Federal, durante as investigações, foram identificados elementos que apontam que uma grande empresa do ramo de processamento de carnes firmou contrato fraudulento com uma empresa sediada em Macaé para prestação de serviços na área de informática. Ainda segundo a PF, há suspeita que os serviços não eram prestados e que o contrato, de aproximadamente R$ 3 milhões, serviria apenas para o repasse irregular de valores para utilização nas campanhas eleitorais.

Outros empresários também informaram à PF que o ex-governador cobrava propina nas licitações da prefeitura de Campos, exigindo o pagamento para que os contratos fossem firmados. (G1)

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.