Smiley face

Reintegração dos ex-militares é prioridade do Governo

0 43

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

O processo de reintegração social dos ex-militares vai continuar nas prioridades do Governo angolano, no âmbito da assistência, protecção e cuidados com a família.

O compromisso foi reafirmado terça-feira, na província do Huambo, pela ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Victória Francisco da Conceição, em declarações à imprensa no quadro da sua visita de trabalho de dois a esta região.

De acordo com a ministra, o governo angolano está a trabalhar com vista a redesenhar os programas de reintegração social desta classe, para dinamizar a sua inserçao de forma produtiva e sustentável.

Para o efeito, informou que acções de concertação estão a ser desenvolvidas junto com os governos provinciais e os parceiros sociais que intervêm directamente neste processo, para aproximar as ideias em função das realidades actuais e se encontrar soluções que possam servir de complemento aos esforços a nível nacional.

Desta forma, segundo Vitória da Conceição, poder-se-á, gradualmente, mudar a situação de vulnerabilidade dos ex-militares, dos seus agregados familiares, bem como das comunidade em que se encontram inseridos.

Avançou ainda que os esforços estão a ser levados a cabo nos demais sectores, para que direccionem as suas acções para o mesmo fim, de modo que a política social seja mais dinâmica e forte.

Uma das estratégias é o reforço dos mecanismos de actuação nos vários domínios da vida social, através da municipalização da acção social no seu todo, disse a governante.

Outra aposta, avançou, passa pela promoção da agricultura familiar, bem como de todos programas virados para a segurança alimentar.

Para si, a agricultura familiar é um dos pilares de todo um processo de inserção das famílias vulneráveis, porque é dali que desponta a renda deste núcleo social.

Victória Francisco da Conceição coordena uma delegação composta por secretários de Estado e directores nacionais de diversos departamentos ministeriais em visita à província do Huambo, com objectivo de avaliar a situação dos grupos vulneráveis.

Na província do Huambo são controlados cerca de cinco mil e 70 ex-militares. (Angop)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »