Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Incendiário suspeito detido

Um cidadão acusado de ter ateado fogo numa residência onde se encontrava refugiada a sua família, depois de uma discussão, na madrugada de sábado, no bairro dos Mulenvos de Cima, município de Viana, em Luanda, foi detido terça-feira pela Polícia Nacional.

De acordo com um comunicado do Gabinete Institucional e Imprensa do Comando Provincial da Polícia Nacional, citado pela Angop, trata-se de Mateus José, de 38 anos de idade.

O facto ocorreu quando o homem, por razões passionais, discutiu e espancou a esposa e esta se refugiou na residência de uma vizinha com os dois filhos. Na madrugada do mesmo dia, o homem despejou gasolina à volta da casa e incendiou a residência, tendo causado queimaduras a oito pessoas das duas famílias, acabando uma criança por falecer. A criança, de sete anos de idade, teve 75 por cento da superfície corporal queimada e faleceu no Hospital Neves Bendinha. Três dos sinistrados já receberam alta, mas outros quatro, duas mulheres e duas crianças, continuam internados.

Cadáver carbonizado

O cadáver carbonizado de um homem que aparentava entre os 28 e 38 anos de idade, foi encontrado na manhã de ontem junto a um contentor de lixo, encoberto por cobertores e sacos, no cruzamento entre as ruas da Liga Nacional Africana e dos Combatentes, no Distrito Urbano da Ingombota.

O cadáver apresentava possíveis sinais de tortura. Alertados pela população, ontem de manhã estavam no local efectivos policiais da Divisão da Ingombota e do Rangel e especialistas dos Serviços de Investigação Criminal. Desconhecia-se a identidade e as possíveis causas da morte do cidadão. No cadáver era ainda possível divisar uma corda, amarrada ao pescoço, o que indiciava que podia ter sido asfixiado por enforcamento e só depois carbonizado.

Vítima morre

Uma das vítimas do acidente de viação ocorrido na passada sexta-feira na Avenida de Portugal, no Distrito Urbano da Ingombota, em Luanda, que envolveu um táxi, acabou por morrer este domingo, no Hospital Josina Machel. A mulher foi atropelada pela viatura acidentada quando fazia a travessia nas proximidades do Governo Provincial de Luanda.

Dos sete feridos, na altura, quatro já receberam alta, enquanto dois ainda estão internados, mas já fora de perigo. A maioria dos feridos teve traumatismos no tórax, abdómen, membros superiores e inferiores.
O táxi fazia o sentido descendente, quando embateu em sete viaturas estacionadas junto a Embaixada de Portugal e capotou nas escadarias paralelas à sede do Governo Provincial. (Jornal de Angola)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »