Cuando Cubango: Reconhecido papel do técnico de saúde

A dedicação contínua e patriótica do trabalhar de saúde, com destaque para enfermeiros, técnicos e médicos, na prestação de assistência médica e medicamentosa foi reconhecida, segunda-feira, em Menongue, pelo vice-governador do Cuando Cubango para o sector político e social, Pedro Camelo.

Ao discursar no acto local do 25 de Setembro, Dia Nacional do Trabalhador de Saúde, o responsável disse que o funcionário deste sector tem mostrado capacidade de atendimento ao seu público-alvo, os doentes, pelo que merece todo reconhecimento nesta tarefa de salvar vidas.

Sublinhou que os profissionais da saúde têm emprestado um esforço notável ao processo de crescimento e desenvolvimento do país, principalmente na prestação de serviços de qualidade aos assistidos nas unidades sanitárias espalhadas por todo o território nacional.

Reiterou que estes desafios ainda são enormes, mormente nas zonas rurais no que tange, sobretudo, ao baixo indicador – relativamente aos das áreas urbanas, à falta de recursos humanos qualificados e as assimetrias e a disponibilidade do pessoal a nível dos municípios.

“Esses e outros factores são por si só desafios a um sistema de saúde que se quer forte, abrangente e eficaz que possa garantir o acesso universal, aos serviços de saúde essenciais com qualidade, equidade e solidariedade”, defendeu.

No entanto, Pedro Camelo sublinhou a necessidade dos profissionais pugnarem por um processo de inteiração feita entre o médico e o paciente, esclarecendo dúvidas sobre o seu tratamento, exames, diagnóstico ou procedimentos clínicos.

“Pretendo dizer que os trabalhadores da saúde devem perceber que antes de qualquer medicamento está o amor deles, um olhar deles que irá transmitir confiança. Pois, deve haver uma maior abertura entre o paciente e o médico”, esclareceu.

Pedro Camelo espera assim que o 25 de Setembro possa oferecer uma oportunidade de introspecção sobre a responsabilidade individual, colectiva e institucional face aos grandes desafios do programa do Executivo, tendentes à redução da morbi e mortalidade materno-infantil.

Neste particular, lembrou do aumento das taxas de coberturas vacinais, redução da incidência e prevalência de doenças endémicas e aproximação de serviços de saúde às comunidades e, acima de tudo, um dia de festa.

A propósito, pediu que cada trabalhador da saúde faça uma profunda reflexão sobre o seu desempenho em prol dos serviços prestados hoje à população (Angop)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »