Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Parlamento curdo iraquiano aprova organização de referendo de independência

O Parlamento da região autónoma do Curdistão iraquiano aprovou, de forma unânime, nesta sexta-feira (15), a realização de um referendo de independência em 25 de setembro, na ausência da oposição, que boicotou a sessão parlamentar.

Após o voto a mão erguida, o vice-presidente do Parlamento, Jaafar Aimenky, que presidiu a sessão, indicou que o referendo será realizado na data prevista após “a votação unânime dos 65 deputados presentes”.

Este referendo preocupa os países vizinhos, como Turquia e Irão, que temem que as ideias separatistas de Erbil se propaguem para suas próprias comunidades curdas.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, reagiu, garantindo, em pronunciamento pela televisão, que a realização de um referendo “é uma coisa muito, muito ruim”.

“Se se atreverem a declarar um Estado independente, nem todo mundo vai aprovar”, acrescentou.

O Conselho de Segurança turco deve se reunir em 22 de setembro para adotar uma posição oficial.

Também inquieta os Estados Unidos, que consideram a consulta popular um obstáculo na luta contra o grupo Estado Islâmico (EI), conduzida junto com os curdos.

Em uma tentativa de adiar a votação, na quinta-feira, os Estados Unidos e outros países apresentaram ao presidente curdo, Massud Barzani, um projeto com alternativas ao referendo, segundo o enviado americano da coligação que combate os extremistas no Iraque, Brett McGurk.

Insistindo na independência como a “única” opção para seu povo, o presidente curdo se comprometeu a responder “rapidamente”.

Há mais de dois anos o Parlamento curdo não se reunia e foi após longas negociações que o Partido Democrático do Curdistão (PDK), de Barzani, conseguiu entrar em acordo com as demais formações curdas – a União Patriótica do Curdistão (UPK), de Khalal Talabani, e o Goran, para reabrir uma sessão parlamentar.

O Parlamento federal chegou a votar em duas ocasiões contra o referendo de independência. Em ambas as vezes, os deputados curdos abandonaram a sala em protesto.

– Proteger a unidade do Iraque –

Na terça-feira, o Parlamento federal votou contra a realização deste referendo para “proteger a unidade do Iraque” e, na quinta-feira, destituiu o governador da província de Kirkuk – rica em petróleo e alvo de disputas territoriais entre o governo de Bagdade e as autoridades curdas – por decidir, contra a opinião do governo iraquiano, organizar o referendo em sua região.

Desde 1991, o Curdistão iraquiano dispõe de certa autonomia, que foi estendida ao longo dos anos.

Ao anunciar a data do referendo em junho, Barzani enviou um sinal claro, segundo os especialistas, de que o Iraque entrava em uma nova fase.

Depois de três anos de luta para expulsar os extremistas islâmicos – que chegaram a controlar um terço do território iraquiano -, o país volta a se concentrar em seus problemas confessionais e étnicos de antes da chegada do EI.

Há temores quanto a possíveis confrontos entre os peshmergas (combatentes curdos) e as muitas unidades paramilitares espalhadas por todo país, que poderiam disputar as áreas reconquistadas das mãos dos extremistas.

O influente comandante xiita Hadi al-Ameri, chefe da organização Badr – poderoso grupo paramilitar iraquiano apoiado pelo Irão -, multiplicou recentemente as advertências contra uma “guerra civil”.

Na quinta-feira, a Turquia alertou que a organização do referendo “terá um preço”, um posicionamento capaz de comprometer a viabilidade de um possível Estado curdo, enquanto o Curdistão iraquiano obtém a maior parte da sua receita com a exportação de petróleo através de um gasoduto que chega ao porto turco de Ceyhan.

Os próprios 5,5 milhões de curdos iraquianos convocados a votar sobre a independência estão divididos sobre a oportunidade de realizar esta consulta neste momento. (Afp)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »