Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Guatemala: comissionado presidencial de Direitos Humanos renuncia por crise política

O chefe da Comissão Presidencial para os Direitos Humanos da Guatemala (Copredeh), Victor Godoy, informou neste sábado que renunciou ao cargo em repúdio à expulsão fracassada de um comissionado da ONU por ordem do presidente Jimmy Morales.

Godoy afirmou que tomou essa decisão porque “não compartilha a postura” do presidente, que no domingo passado declarou persona non grata o titular da Comissão Internacional Contra a Impunidade na Guatemala (Cicig), o colombiano Iván Velásquez, e ordenou sua expulsão imediata.

Godoy detalhou que redigiu a renúncia “irrevogável” na segunda-feira, um dia depois da decisão presidencial, mas que esta se tornou efetiva na sexta-feira.

O ex-chefe da Copredeh explicou que abandonou seu cargo porque queria “deixar preparadas as audiências perante a Comissão Interamericana de Direitos Humanos que se realizarão de 4 a 8 de setembro na Cidade do México”.

A ordem presidencial foi suspensa definitivamente na última terça-feira pela Corte de Constitucionalidade (CC), máxima instância judicial do país, em meio a um terremoto político que gerou manifestações de rejeição à decisão de Morales.

O presidente acusou Velásquez de ingerência nos assuntos de Estado e de extrapolar suas atribuições, mas a medida foi criticada porque foi anunciada dois dias depois de que a Cicig e a Procuradoria pediram a suspensão dos foros de Morales para que ele pudesse ser investigado criminalmente por financiamento ilícito de sua campanha na eleição de 2015.

A tentativa de expulsão do presidente já tinha provocado a renúncia da cúpula do Ministério da Saúde e de um alto funcionário comercial do governo, enquanto que o chanceler Carlos Raúl Morales foi destituído.

O governo assegurou que não voltará a declarar persona non grata o comissionado e que tudo se resolverá através da secretaria-geral da ONU.

Velásquez afirmou na quinta-feira que continuará à frente da missão anti-corrupção da ONU após a resolução da CC que proíbe sua expulsão da Guatemala. (AFP)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »