Ler Agora:
Técnicos de saúde exortados a redobrarem promoção do aleitamento
Artigo completo 3 minutos de leitura

Técnicos de saúde exortados a redobrarem promoção do aleitamento

Os técnicos de saúde das maternidades de Luanda foram hoje, terça-feira, em Luanda, exortados, pela secretária de Estado da Família e Promoção da Mulher, Constantina Furtado, a redobrar esforços para o incremento das actividades educacionais e promoção do aleitamento materno e a sua sustentabilidade em todo o país.

A responsável que falava durante a sessão de abertura da “Semana Mundial do aleitamento Materno Agosto Dourado” sob o lema “Juntas Pela Amamentação” acrescentou que há necessidade de trabalhar mais de forma coordenada e sistemática, duplicando esforços para que o aleitamento materno exclusivo passa a ser uma nova realidade em Angola.

“É fundamental o engajamento de todos os sectores públicos e privados para que o aleitamento materno seja efectivo para a elaboração de instrumentos de códigos e leis, para regular a sua prática a todos os níveis e estimular o aleitamento materno como meio comum e eficaz para a protecção da saúde infantil”, frisou.

Segundo Constantina Furtado, com a elaboração de leis vai se observar maior redução de doenças e enfermidades preveníveis, e consequentemente, maior índice de desenvolvimento económico e social.

Revelou que hoje é cada vez maior o número de mulheres que por razões profissionais, cedo abandonam a prática de amamentar os seus bebés, com o receio de perder os seus postos de trabalho ou de serem afastadas da ascensão das suas carreiras profissionais.

Para a fonte, um passo importante deverá ser a divulgação e a adequação da actual legislação na linha da protecção deste direito.

Por outro lado, a coordenadora do núcleo de amamentação revelou que o evento serve para chamar a atenção aos país, que é importante dar-se o leite materno à criança, e exclusivamente até aos seis primeiros meses de vida, e podendo continuar até aos dois anos de idade.

“A vantagem não é só para o bebé mais também para a mãe e para a família, porque ela descarta-se das doenças infecciosas, diarreias e desenvolve o seu estado físico e mental correctamente”, frisou.

A responsável perspectiva que até ao ano de 2018 entre em funcionamento o banco de leite, para ajudar na alimentação de outras crianças que, não poderão ser amamentadas pelas suas mães que tenham alguma patologia.

Durante o evento, foi observado a hora do mamaço, no período entre às 10 e 11 horas, todas as mães foram convidadas a amamentar os seus filhos como acto de amor. (Angop)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »