Radio Calema
InicioGovernoActividades PartidáriasAbel Chivukuvuku apela no Lubango ao voto dos universitários

Abel Chivukuvuku apela no Lubango ao voto dos universitários

O candidato a Presidente da República da Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral(CASA-CE), Abel Chivukuvuku, promteu ontem, no Lubango, província da Huíla, trabalhar para combater a pobreza extrema, caso seja eleito a 23 de Agosto próximo.

Chivukuvuku, que discursava na abertura da campanha eleitoral da CASA-CE, que decorreu na Praça João Paulo II, promete dar aos angolanos uma educação mais inclusiva e facilitar o acesso dos jovens ao ensino superior. Responder aos anseios da juventude no que concerne à educação, ao emprego e à habitação, priorizar as áreas técnico-científicas no ensino superior público, com garantia universal de bolsas de estudo para pessoas comprovadamente necessitadas, são outras acções que a sua coligação se propõe efectivar, caso ganhe as eleições.
A construção e equipamento dos hospitais, para melhorar a assistência médica e medicamentosa à população, é outra acção que Abel Chivukuvuku se propõe realizar.

O combate à corrupção é outro propósito que o candidato da CASA-CE se propõe atacar, assim como apostar num sistema de mercado de livre iniciativa. “Não foi por acaso que nós escolhemos a cidade do Lubango para a abertura da nossa campanha eleitoral. É porque sabíamos que podemos confiar na sua população para a mudança”, disse.
Segundo Chivukuvuku, a província da Huíla é a segunda maior praça eleitoral do país, depois de Luanda, por isso quem quiser ganhar Angola tem que conquistar o Lubango.

“Nós viemos e escolhemos o Lubango por sabermos ser a terceira praça intelectual de Angola e o voto consciente está aqui. E a região é também a terceira praça económica do país e a Angola do futuro se vai construir com o Lubango à frente”, afirmou.

O Lubango, enfatizou, representa o mosaico étnico e rácico de Angola. “É por tudo isso que viemos ao Lubango explicar porque é que nós queremos a mudança. A vida tem que evoluir e as famílias não podem estar estagnadas”, defendeu Chivukuvuku no comício.

Acrescentou que a primeira razão que faz acreditar na mudança no dia 23 de Agosto é o facto de a população ser muito pobre. Segundo ele, um país rico como Angola não pode ter uma população pobre.
O líder da CASA-CE prometeu prestar uma especial atenção à mulher zungueira. Acrescentou que a CASA-CE tem os 20 compromissos para com os Angolanos, no período 2017/2022, que passa pela construção de uma Angola melhor para todos.

Salientou que um governo da CASA-CE e do seu candidato vai garantir a paz, a integridade territorial, a unidade nacional, a harmonia, a liberdade, a ordem, a igualdade de oportunidades e a justiça social.
Chivukuvuku prometeu assumir o angolano como património nacional a ser potenciado e libertado da excessiva pressão político-partidária na sua vida quotidiana. A CASA-CE promete construir uma sociedade sã, assente na família, no
trabalho e na honestidade.

Um eventual governo da Coligação, disse Chivukuvuku, vai prestar uma atenção especial aos funcionários públicos, polícias e militares.

Abel Chivukuvuku defendeu que a mudança de governo é necessária porque milhares de crianças estão fora do sistema de ensino, sem cuidados primários básicos de saúde e há muita criança a morrer antes de atingir os cinco anos de idade.

Atenção especial aos ex-militares

Caso a CASA-CE seja eleita, Abel Chivukuvuku disse que vai ser priorizada a assistência aos ex-militares de todas as partes intervenientes no conflito armado angolano e que se sacrificaram pelo país, mas que continuam abandonados à sua sorte. “São 42 anos de governação e as estradas estão estragadas, as casas sem água nas torneiras e energia. É por isso que temos que fazer a mudança e ela tem que começar no Lubango”.

Presidente da coligação defende mudança pacífica e ordeira

O presidente da CASA-CE quer mudança pacífica, ordeira, positiva, inclusiva e segura, por via do voto. E o dono da mudança é o povo. “Caso ganhemos as eleições, vamos fazer primeiro o inventário do dinheiro das reservas do país e saber das dívidas existentes”.

Lembrou que no dia 23 de Agosto o país vai realizar as eleições e toda a população é chamada a participar no processo de escolha dos futuros dirigentes do país.
Abel Chivukuvuku pediu a todos para guardarem bem o cartão de eleitor, porque só por meio dele o cidadão pode votar.
Assegurou que caso a CASA-CE ganhe as eleições, não se vão mudar os funcionários públicos, mas sim alterar a filosofia de trabalho, práticas e comportamentos, porque a administração pública tem que servir e facilitar a vida do cidadão.

Prometeu também desenvolver políticas públicas de protecção dos segmentos mais vulneráveis da população, tal como os idosos, as viúvas, os órfãos e os portadores de deficiência.

Lembrou que faltam poucos dias para as eleições. “É já no dia 23 de Agosto que vamos eleger. Por isso, peço a todos angolanos para guardarem bem o seu cartão de eleitor. É preciso passar a mensagem aos vizinhos, familiares, nas comunidades onde estamos, para que cada um, no dia do voto, perguntar quem votou ou não. Todos devemos votar”, apelou. Chivukuvuku orientou ainda uma palestra onde participaram estudantes e docentes universitários. (Jornal de Angola)

por Arão Martins

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.