Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Em Espanha quase 260 mil pessoas perderam o trabalho no mesmo dia

No último dia do mês de junho, a Segurança Social de Espanha viu desaparecerem 257.014 postos de trabalho por causa do fim de milhares de contratos a termo. Este corte representou uma queda de 1,4% no sistema de segurança social espanhol.

Este valor superou o de 31 de agosto de 2016, um dia conhecido por ter registado a maior perda de lugares num só dia. A prática relativa aos contratos temporários não tem passado despercebida à Inspeção do Trabalho e da Segurança Social Espanhola, que denuncia o abuso destes contratos e o seu uso fraudulento. Afinal, dispensar trabalhadores antes do fim de semana e recontratá-los no início da semana seguinte, é uma prática comum, avança o El País. Outra das tendências é a de dispensar funcionários no final do mês e recontratá-los, novamente, no início do mês seguinte. Na época de pontes e no fim dos trimestres, o recrutamento também se mantém volátil.

Numa análise mais detalhada à realidade diária do mercado de trabalho espanhol, observa-se o abuso de contratos temporários e o seu uso fraudulento por parte dos empregadores, dá conta a publicação. Apesar das tentativas sucessivas da Inspeção do Trabalho espanhola, a fiscalização escasseia face ao número de contratos celebrados sob estes termos. Só no final mês do mês de junho, segundo trimestre do ano, o fenómeno repetiu-se, mas em grande escala, com 260.000 trabalhadores a conhecerem o fim do seu contrato.

De acordo com dados da Asempleo, representante das empresas de trabalho temporário, os contratos com menos de sete dias, representam 25% de todos os contratos assinados. O professor de Economia na Universidade Complutense de Madrid José Ignacio Conde-Ruiz alertou para o fenómeno dando conta do abuso dos contratos temporários e do grande número de contratos com data de validade que variam mensalmente.

Embora se tenha registado menos 100 mil desempregados em Espanha, na época turística, a diferença entre o final de maio e o final de junho, no entanto, foi negativa e representou um colapso de 65.056 postos de trabalho. (Dinheiro Vivo)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »