PJ faz operação contra rede na Segurança Social que ‘legalizou’ mais de mil imigrantes

Doze detidos por envolvimento em esquema que potencia risco de terrorismo

Mais de mil imigrantes ilegais, a maioria de países que fazem accionar o alerta vermelho para o risco de terrorismo, como é o caso do Paquistão, entraram na Europa por Portugal, nos últimos anos, através de um gigantesco esquema de corrupção que permite simular a legalização destes suspeitos nos serviços centrais da Segurança Social (SS) de Lisboa.

É por isso que seis funcionários da SS foram detidos na manhã desta terça-feira pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ, em articulação com o DIAP de Lisboa, apurou o CM, tal como seis intermediários do esquema – cidadãos do Paquistão, Índia ou Bangladesh.

Na prática, o esquema detectado pela PJ passa por funcionários da SS, a troco de milhares de euros por cada uma das centenas de situações que já despacharam, atribuírem números de identificação da SS (NISS) a imigrantes ilegais que nunca trabalharam em Portugal, como se aqui estivessem empregados, com contratos de trabalho válidos e os impostos em dia. O objectivo é permitir que estes imigrantes, depois de conseguirem entrar em Portugal e no espaço Schengen com vistos turísticos, consigam permanecer e circular pela Europa iludindo as autoridades – nomeadamente o SEF – exibindo um NISS como se de imigrantes legalizados se tratasse.

Esta operação da PJ, com 12 detidos, empenhou mais de 130 inspectores de norte a sul do país e passou por cerca de 50 buscas. (Correio da Manhã)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »