Nova vaga de ciberataques está em curso na Europa

Bancos, sistema informático do governo ucraniano e até o aeroporto de Kiev foram atingidos. Na Rússia, várias empresas denunciaram ataques aos servidores

Várias instituições da Ucrânia foram atingidas por uma onda de ciberataques esta terça-feira, incluindo bancos, o distribuidor de energia estatal e o principal aeroporto de Kiev, provocando eventuais atrasos nos voos com chegada e partida da capital ucraniana.

O vice-primeiro-ministro ucraniano Pavlo Rozenko informou também que a rede informática do governo está em baixo, tendo colocado no Twitter uma imagem de um ecrã de um computador que mostra uma mensagem de erro.

Na Rússia, a petrolífera Rosneft informou também que um ciberataque atingiu os servidores da empresa. À Reuters, a empresa de segurança Group-IB, com sede em Moscovo, explicou que o ataque parece ser coordenado e visar sobretudo computadores na Rússia e Ucrânia.

Entretanto, já durante a tarde desta terça-feira, há relatos que indicam que outras empresas fora da Ucrânia e Rússia estarão a ser atingidas por uma onda de ciberataques, o que faz temer um cenário semelhante ao que aconteceu em maio, quando empresas e organizações de cerca de 150 países foram alvo de um vírus que impedia o acesso aos ficheiros nos computadores, exigindo em troca um pagamento para resolver o problema.

A Maersk, que opera nos sectores dos transportes e energia e tem sede em Copenhaga, confirmou que o sistema informático da empresa foi afetado por um ciberataque que provocou falhas em várias regiões. “Podemos confirmar que as falhas são causadas por um ciberataque”, disse uma porta-voz da empresa, citada pela agência Reuters.

A britânica WPP, a maior agência de publicidade do mundo, também confirmou à Reuters ter sofrido um ciberataque, sem acrescentar detalhes. (Diário de Notícias)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »