Iraque declara fim do califado do Daesh após retomada de mesquita

Após oito meses de confrontos armados, as forças do Iraque recuperaram nesta quinta-feira a mesquita histórica e destruída de Mossul de onde o Estado Islâmico proclamou a sua versão de um “califado” três anos atrás, informou um comunicado dos militares iraquianos. As autoridades disseram que esperam que a longa batalha no bastião do grupo extremista termine nos próximos dias.

Retomar a Grande Mesquita de Al-Nuri representa uma vitória simbólica para as forças do Iraque, que lutam há mais de oito meses para conquistar Mossul, cidade do norte do país que tem servido como capital de facto do Estado Islâmico no Iraque. Os insurgentes explodiram a mesquita medieval e os seu característico minarete, inclinado-o há uma semana atrás, enquanto forças iraquianas apoiadas pelos Estados Unidos caminhavam em direcção a mesquita.

— O Estado fictício deles caiu — afirmou o brigadeiro-geral Yahya Rasool, porta-voz do Exército iraquiano, na TV estatal.

O primeiro-ministro do Iraque, Haider al-Abadi “emitiu instruções para levar a batalha à sua conclusão”, informou o gabinete.

A retomada de Mossul, de facto marca o fim do poder do califado do Estado Islâmico no Iraque apesar do grupo extremista ainda controlar territórios no oeste e sul da cidade. A capital do EI na Síria, Raqqa, também está tomada pela coligação liderada pelos curdos, apoiada pelos Estados Unidos.

O custo da guerra tem sido enorme, no entanto, além de baixas militares, milhares de civis foram mortos. Cerca de 900 mil pessoas. (Og(

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »