ACNUR reafirma apoio a refugiados da RDC

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), reafirmou hoje, segunda-feira, em Luanda, através da representante em Angola, Pierrine Aylara, o apoio aos refugiados da República Democrática do Congo (RDC), instalados na província angolana da Lunda Norte.

De acordo com Pierrine Aylara, que falava num encontro com autoridades angolanas, representantes das agências especializadas da ONU e corpo diplomático acreditado no país, o trabalho vai continuar em colaboração com as autoridades angolanas, como tem sido até agora.

No encontro que visou a busca de apoios internacionais para os refugiado os refugiados da RDC, a representante do ACNUR em Angola o facto de o governo e povo angolano terem respondido com hospitalidade à situação dos deslocados do Kassai (RDC), oferecendo protecção e segurança internacional.

Pierrine Aylara afirmou que “Angola tem demonstrado hospitalidade, solidariedade e generosidade excepcionais”.

Por essa razão, expressou, em nome do ACNUR, gratidão às autoridades angolanas por manter as fronteiras abertas e acolher os refugiados que fogem do conflito na RDC.

Disse também que o ACNUR continua preocupado com os deslocamentos internos dentro da região do Kassai (RDC), estimado em 1.3 milhões de deslocados, e que poderão aumentar a medida que as condições de segurança na região se deteriorar.

Com isso, disse, muitos refugiados congoleses poderão continuar a procurar protecção internacional no norte de Angola.

A 12 de Junho do corrente mês em Genebra (Suíça), o ACNUR solicitou uma contribuição da comunidade internacional no valor de 65 milhões 507 mil e 610 dólares para o apoio a estes refugiados.

Actualmente, nos campos de refugiados da Lunda Norte (Cacanda e Mssungue), estão cerca de 31 mil e 329 cidadão congoleses, sendo que nove mil, 296 são homens oito mil, 716 mulheres e 13 mil, 308 crianças, muitas das quais afectadas por várias doenças. (ANGOP)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »