Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Comércio com o Brasil cai em 2015

O intercâmbio comercial entre Angola e o Brasil foi de apenas 680 milhões de dólares em 2015, contra 2.400 milhões registados no ano anterior.

O dado consta do Relatório da Comissão das Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado Federal do Brasil, que, na quinta-feira última, apreciou a indicação de Paulino Franco de Carvalho Neto para exercer o cargo de embaixador do Brasil em Angola.

De acordo com o documento, a que a Angop teve acesso em Brasília, a redução é “parcialmente” explicada pela queda do preço do petróleo no mercado internacional e a consequente crise económica no país africano.

A mesma fonte dá conta de que, entre 2002 e 2008, a corrente de comércio bilateral cresceu mais de 20 vezes.

Em 2009, as importações brasileiras de petróleo angolano caíram 94 porcento, e o fluxo comercial baixou para 1.470 milhões de dólares, destaca.

O documento acrescenta que, nos quatro anos seguintes, esses montantes situaram-se em 1.440 milhões, 1.510 milhões, 1.200 milhões e 2.000 milhões, respectivamente em 2010, 2011, 2012 e 2013.

Quanto ao momento actual que Angola vive, a comissão considera que, conquistada a paz, em 2002, Angola encontra-se em dinâmico processo de reconstrução nacional, buscando a revitalização da sua economia e o desenvolvimento social.

Com a exposição às oscilações dos preços internacionais do petróleo, o governo angolano envida esforços no sentido da diversificação económica, assinala o documento.

Angola é sexto parceiro comercial do Brasil em África, atrás de Nigéria, Argélia, Egipto, África do Sul e Marrocos.

Embora o Brasil seja o nono maior parceiro comercial de Angola (5º maior exportador e 11º maior importador), a sua participação no comércio exterior do país africano ainda é modesta, realça a fonte.

As importações brasileiras correspondem a apenas 1,7 porcento das exportações angolanas, enquanto as exportações brasileiras a apenas 4,8 porcento das importações de Angola, conclui. (Angop)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »