Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Swazilândia: Cimeira da SADC encerra com aprovação de vários protocolos

0

A 36ª Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da SADC, iniciada na terça-feira, terminou hoje (quarta-feira), em Mbabane, Reino da Suazilândia, com a provação de vários protocolos.

A cimeira elegeu o Rei Mswati III, do Reino da Suazilândia, país anfitrião, e o Presidente da República da África do Sul, Jacob Zuma, para os cargos rotativos de presidente e vice-presidente da SADC, respectivamente.

As repúblicas da Tanzânia e de Angola foram também eleitas para as funções, igualmente rotativas, de presidente e vice-presidente do órgão de cooperação nas áreas Política, Defesa e Segurança da Organização.

De acordo com o comunicado final, a cimeira aprovou vários instrumentos jurídicos, nomeadamente o acordo que emenda o Protocolo da SADC contra a corrupção, o Protocolo sobre a cooperação nas áreas de Política, Defesa e Segurança e o acordo que emenda o Protocolo da SADC sobre Finanças e Investimentos.

Também aprovou o Anexo 13 relativo à Cooperação na área dos Mercados Financeiros, acordo que emenda a alínea c) do número 1 do artigo 3 do Protocolo sobre as trocas comerciais da SADC, o acordo sobre a operacionalização do Fundo de Desenvolvimento Regional, bem como o Projecto de acordo que emenda o Protocolo da SADC sobre Género e Desenvolvimento.

A cimeira debateu ainda questões consideradas importantes da região, nomeadamente a necessidade de haver contribuições dos Estados Membros, bem como dos processos de paz que decorrem na RDC, Lesotho e no Madagáscar.

No caso da RDC, a cimeira recordou a necessidade de se respeitar a Resolução 2277 (2016), do Conselho de Segurança das Nações Unidas, que prorrogou o mandato da Missão de Estabilização da ONU (MONUSCO).

A cimeira saudou o Governo da RDC e a MONUSCO pela assinatura do Acordo Técnico, a 28 de Janeiro de 2016, abrindo assim caminho para o reatamento efectivo de operações conjuntas entre as Forças da MONUSCO e as FARDC.

Em relação ao Lesotho, a cimeira reiterou a necessidade urgente do regresso ao país dos líderes da oposição que se encontram exilados, “que abrirá assim caminho para uma participação inclusiva nas reformas em curso”.

Saudou o vice-presidente da África do Sul, Cyrill Ramaphosa, pelo seu empenho na facilitação do processo naquele país.

Quanto ao Madagáscar, os chefes de Estado recomendaram a reconciliação entre os líderes da oposição, para consolidarem o entendimento com o governo actual.

Em função do tema adoptado na cimeira, “Mobilização de Recursos para o investimento em infra-estruturas de Energia Sustentável rumo à Industrialização Inclusiva da SADC e à prosperidade da Região”, a cimeira notou os avanços realizados no que concerne à implementação do Plano Director Regional de Desenvolvimento de Infra-estruturas da Região.

A cimeira notou ainda com satisfação que, durante o ano em revista, entrou em funcionamento os projectos de geração de energia com uma capacidade de produção de 1700 Mega-Watts, assim como os projectos de geração de energia, cuja produção líquida se elevará a cerca de quatro mil MW, os quais contribuirão, em grande medida, para aliviar o défice energético existente na região.

Por outro lado, notou a deterioração da situação da segurança alimentar na região durante a campanha agrícola de 2015/16, ocasionada pela seca extrema provocada pelo fenómeno El Nino, que deixou a região com um défice de cereais de nove milhões de toneladas, com 39,6 milhões de pessoas vulneráveis que necessitam de assistência alimentar e outro tipo de ajuda humanitária.

Com efeito, o conclave apelou à comunidade regional e Internacional para um apoio contínuo às populações afectadas, em particular para suprir o défice de 2,5 mil milhões de dólares norte-americanos.

Durante a reunião, a enviada especial do secretário-geral das Nações Unidas debruçou-se sobre o fenómeno El Nino e sobre a actual seca que afecta toda a região, tendo acolhido com apreço o apoio prestado pela ONU.

As questões do género foram também muito discutidas nesta cimeira, que concluiu haver uma boa participação do género na governação da região.

A propósito, o ministro das Relações Exteriores, Georges Chicoti, afirmou que alguns países membros foram encorajados a fazer um pouco mais e, para aqueles que já fizeram o suficiente, os Chefes de Estado reconheceram tal esforço.

Felicitou também a África do Sul por ter acolhido o Exercício de Treino de Campo AMANI AFRICA II (AAFTX) em Outubro/Novembro de 2015 e os Estados-Membros que contribuíram e participaram neste exercício.

No fim das discussões, foram apresentadas notas que alguns grupos de pressão fizeram para se olhar para a situação do Zimbabwe.

A este respeito, o ministro das Relações Exteriores aferiu que os Chefes de Estado disseram que “não se pode fazer pressão para os países que realizam regularmente eleições”. (Angop)

Deixe uma comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »