Sida: Moçambique é o país lusófono com mais infectados pelo vírus

Nos países da CPLP, 2,8 milhões de pessoas vivem com o vírus.

Moçambique é o país de língua portuguesa com mais pessoas a viver com o vírus HIV e também é onde se registaram mais infecções em 2015.

Estudo publicado nesta terça-feira pela revista Lancet HIV, lançada por ocasião da Conferência Internacional sobre Sida que decorre na cidade sul-africana de Durban, indica que 2,8 milhões de pessoas vivem actualmente com o vírus nos nove países da CPLP, das quais 1,833 em Moçambique.

O país, que integra o grupo dos 10 mais afectados pela endemia, registou a morte de cerca de 70 mil pessoas, apesar de 30,66% dos pacientes receberem terapias anti-retrovirais, uma taxa ainda abaixo da média da região em que se insere (42,82%).

O Brasil é o segundo lusófono com mais pessoas a viver com a doença (554,84 mil) e com mais novas infecções em 2015 (33,76 mil), tendo registado nesse ano 21,05 mil mortes associadas ao HIV.

Em Angola, quase 286 mil pessoas vivem actualmente com o vírus, que infectou 22,35 mil novas pessoas no ano passado e matou outras 11,10 mil.

Entre os países pequenos, a Guiné-Bissau possui cerca de 41 mil doentes, com 1.910 novos casos 1 1.760 mortes em 2015,

Mais de 24 mil pessoas vivem actualmente com o HIV na Guiné Equatorial, onde em 2015 surgiram cerca de 630 novas infecções e cerca de 810 pessoas perderam a vida.

Cabo Verde registou 320 casos e morreram 100 pessoas, num universo de 3.830 pacientes com o vírus

Em São Tomé e Príncipe, há cerca de 30 pessoas infectadas com o HIV, 54,78% das quais recebem terapias anti-retrovirais. (VOA)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »