Deputado “reprova” culturas nocivas

O deputado da Assembleia Nacional Monteiro Kapunga manifestou-se neste domingo, em Luanda, contrário à “importação” de culturas que “minam os valores” das famílias africanas.

Em declarações à imprensa, no âmbito da jornada sobre a família, iniciada hoje, pela Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo (Tocoista), referiu que em Angola muitas vezes se deturpa os valores da família, sobretudo no mundo artístico.

Considerou que o conteúdo de algumas músicas, inspiradas em realidades de outras sociedades, tem prejudicado o bom convívio familiar.

Por essa razão, sugeriu a criação, em Angola, de um sector que combata a divulgação de músicas com mensagens nocivas e novelas com conteúdos reprováveis, difundidas pela televisão.

Na óptica do deputado, deve-se divulgar os antigos costumes africanos, em que um soba, por exemplo, não se podia separar da mulher.

“Devemos seguir o exemplo dos nossos pastores e dos líderes das igrejas; Como se têm comportado em relação às famílias. Tanto na felicidade, quanto na dificuldade, a família deve manter-se unida”, referiu.

Lembrou que o casamento é um assunto sério e as desavenças entre sogras e genros são reflexo, muitas vezes, das telenovelas difundidas no pais.

“Nós, como africanos, fomos educados no princípio de que um sogro é um pai, uma sogra é uma mãe e um genro é um filho. Isso ainda se vive no continente. Contudo, o nosso pior erro, depois da independência, foi o surgimento de sobas anarquicamente, cujo comportamento é reprovável”, ressaltou.

Apelou aos órgãos de comunicação social para ajudarem a resgatar os valores culturais, dando maior espaço às igrejas para difundirem os verdadeiros ensinamentos trazidos pela Bíblia.

A jornada sobre a família decorre sob o lema “O casamento cristão como valor fundamental para a estabilidade familiar” e vai decorrer até 31 de Agosto.

A iniciativa visa saudar o 22 de Agosto, data em que a Igreja Tocoísta conheceu o seu primeiro casamento (entre o Profeta Simão Gonçalves Toco e a sua esposa Maria Rosa Toco).

Tem também por objectivo saudar o dia 31 de Agosto, data do regresso do Profeta Simão Toco da Ilha do Açores, Portugal, onde esteve 11 anos exilado. (ANGOLA)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »