Pistorius tem depressão e não é capaz de depor

O campeão paralímpico sul-africano Oscar Pistorius, considerado culpado pelo assassinato de sua namorada em 2013, sofre de depressão e não é capaz de testemunhar, no primeiro dia da audiência para estabelecer sua pena, afirmou um psicólogo.

“Mostrou indícios e sintomas de transtornos pós-traumáticos, transtornos de ansiedade e de depressão”, declarou o psicólogo Jonatahn Scholtz.

“Actualmente não é capaz de testemunhar. Seu estado de saúde é grave”, completou no tribunal de Pretória, que deve pronunciar esta semana a pena de Pistorius.

“Ele ficou muito traumatizado pelos fatos que aconteceram em 14 de Fevereiro de 2013”, dia do assassinato, “ainda se traumatiza quando escuta o barulho de armas de fogo”, disse.

Oscar Pistorius “tinha projectos de futuro com a pessoa falecida”, Reeva Steenkamp, destacou o psicólogo, antes de afirmar que o condenado “reza todos os dias”.

Na madrugada de 13 para 14 de Fevereiro de 2013, Oscar Pistorius matou a namorada Reeva Steenkamp em sua casa. Steenkamp estava trancada no banheiro e ele deu quatro tiros contra a porta. O atleta alegou que acreditava que era um ladrão e que matou a companheira por engano.

Pistorius foi considerado culpado de assassinato no julgamento da apelação e pode ser condenado, no mínimo, a 15 anos de prisão.

Famoso por também ter competido nos Jogos Olímpicos de Londres-2012, antes dos Jogos Paralímpicos, o atleta conhecido como “Blade Runner” por suas próteses de fibra de carbono continua em liberdade, mas esgotou todas as possibilidades de recursos judiciais. (AFP)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »