A quarta maior ponte do país

A Sociedade de Empreendimentos e Obras Públicas (SEOP), apresentou em Fevereiro, no Namibe, a segunda maior ponte da província e a quarta maior do país. Localizada na estrada nacional 280, a ponte sobre o rio Giraúl, no Namibe, foi desenvolvida plenamente em curva, tem 8 metros de altura, duas faixas de rodagem, 605 metros de comprimento e está orçada em mais de 4 mil milhões de kwanzas.

Situada na estrada nacional 280, a quarta maior ponte do país liga as províncias do Namibe e Huíla. Foi construída no âmbito do programa de acções do Ministério da Construção e entregue pela SEOP, com um prazo de antecipação de 4 meses. Segundo Alexandre Baptista, engenheiro e director técnico da SEOP, a obra, orçada em mais de 4 mil milhões de kwanzas, vai permitir um aumento significativo no tráfego de viaturas e pessoas, contribuindo para o desenvolvimento socioeconómico da região e articulação entre as duas províncias.

O director técnico da SEOP esclarece ainda que a infraestrutura é essencial para a passagem de  muitos veículos pesados, como é o caso dos que transportam combustíveis com destino à Huíla e com a maior parte dos que chegam ao Kuando Kubango, que saem da base de combustíveis da Sonangol no Namibe. A nova ponte, inaugurada pelo governador do Namibe, Rui Falcão, com dupla faixa de rodagem, 8 metros de altura e com passagem para peões nos dois sentidos, tem um tempo de vida estimado em 50 anos e foi edificada em substituição da ponte que, em Março de 2011, foi devastada pelas cheias ocorridas naquele território.

O engenheiro Alexandre Baptista explica que a estrutura teve o seu início de construção em Outubro de 2014, estando a conclusão prevista para Maio deste ano, pelo que a obra foi entregue em tempo recorde. A ponte sobre o rio Giraúl foi construída pela Sociedade de Empreendimentos e Obras Públicas SEOP, no âmbito do programa de desenvolvimento 2013-2017, no que respeita à construção de infraestruturas rodoviárias, as quais visam melhorar as condições de vida da população e estimular o desenvolvimento económico do Pais.

Feita num bloco pré-fabricado, apresenta a particularidade de ser única no conceito em curva, elucida Alexandre Baptista, que adianta que um dos elementos fundamentais é a garantia de que as avalanches de água provenientes das bacias sejam escoadas de forma prática sem correr o risco de obstrução, incluindo as respectivas secções de vazão do rio. Para Júlio Mata, assessor do PCA da SEOP, a empresa concluiu um trabalho que vai dar um contributo positivo à região. Os transtornos causados antes da conclusão da obra estão eliminados.

No que respeita à mão-de-obra, Alexandre Baptista esclareceu que para a conclusão da obra foram contratados 150 trabalhadores nacionais e 40 expatriados, confessando esperar com ansiedade o surgimento de mais projectos de grande dimensão para que mais empregos sejam criados, especialmente para a juventude. O tipo de estrutura adoptada (pré-fabricada), explica, permitiu uma solução construtiva que garante elevadas condições de segurança.

Infraestruturas que ligam o país

infraCom forte presença na província do Namibe, a SEOP, empresa angolana que actua no sector da construção em Angola, tem realizado inúmeras obras e infraestruturas que ligam o país e destapam caminhos rumo ao desenvolvimento de Angola. Depois da recente obra terminada no Namibe, a SEOP concluiu as obras de Lubango – Bentiaba (105km), troço Bentiaba-Lucira (65km), sendo que a estrada Namibe Tômbwa (93km) se encontra paralisada, com apenas 50% executado.

Também a estrada da Baía das Pipas se encontra paralisada. A SEOP desenvolve actualmente a 2ª circular em Luanda (34km), Xangongo – Calueque (92km), Sanza – Pombo (84km) e Infraestruturas Bengo – Mabubas. Júlio Mata acentua que a empresa actua em várias áreas de negócio, entre as quais as vias de comunicação, urbanização e infraestruturas, hidráulicas, edifícios e consultoria técnica.

Uma relação de confiança

O presidente da SEOP, Ivan de Morais, considera que a instituição que dirige construiu uma obra de que se orgulha. “Refiro – me à construção de uma relação de confiança junto de todo o mercado e, principalmente, junto de todo o povo angolano. E esta é, sem sombra de dúvidas, a mais verdadeira e importante obra pública que poderíamos ter erguido”, disse o responsável. Ivan de Morais garante que o grupo procura manter uma relação duradoura e de parceria com todos os agentes do mercado, firmada numa verdadeira e permanente cultura da qualidade e confiança. “Acredito que a SEOP está e estará cada vez mais preparada para continuar a desenvolver as suas competências”.

ONDE OPERA A SEOP

VIAS DE COMUNICAÇÃO: Construção e reabilitação de redes rodoviárias, terraplanagens, aterros e desaterros de grandes dimensões e sinalização rodoviária.

URBANIZAÇÃO E INFRAESTRUTURAS: Condutas distribuidoras e adução de água, colectores de águas residuais, colectores de águas pluviais, estações elevatórias de águas residuais, estações elevatórias de águas, órgãos de rede, redes elétricas, redes de telecomunicações e redes de gás.

HIDRÁULICAS: Regularização de leitos de rio e obras acessórias de contensão e emissários.

EDIFÍCIOS: Construção, reabilitação e remodelação de edifícios habitacionais e indústrias: Postos de abastecimento de combustíveis; escolares e de serviços, centros de distribuição, hospitais e parques de estacionamento.

CONSULTORIA TÉCNICA: Elaboração e supervisão de projectos de arquitectura e engenharia civil, actividades de consultadoria.

O ENGENHEIRO DA OBRA

alexandreAlexandre Baptista, mais conhecido por engenheiro “Xana”, nasceu em 1960, em Angola, onde fez a sua formação em engenharia civil na Universidade Agostinho Neto. Actualmente exerce o cargo de director técnico da SEOP e está envolvido no trabalho de obras e projectos, que estão a ser executados de Cabinda ao Cunene, desde 1980. Desenvolveu e dirigiu obras militares já no tempo de guerra, o que teve grande significado. “O meu tempo de formação foi de grande privilégio porque apanhei os professores que já vinham do tempo colonial”. (EXAMEANGOLA)


Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »