Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Governo do Bié enaltece coragem e determinação dos Mártires da Baixa de Kassanje

O governo da província do Bié enalteceu hoje, domingo, na cidade do Cuito, a coragem e a determinação demonstrada pelos Mártires da Repressão Colonial na Baixa de Kassanje (Malanje), galvanizando assim a luta da liberdade e a Independência Nacional.

Segundo uma nota de exortação assinada pelo governador do Bié, Álvaro Manuel de Boavida Neto, que a Angop teve acesso hoje, domingo, em saudação ao 4 de Janeiro, destaca o desempenho dos heróis nacionais pela motivação que tiveram 1961, tendo incentivado a luta armada de libertação que culminou com a conquista da Independência Nacional, a 11 de Novembro de 1975.

Deste modo, o Governo apela ao povo bieno no sentido de observar o 4 de Janeiro como um marco de reflexão obrigatória, reforçando a unidade nacional e a coesão em torno dos mais nobres ideias da Nação, independentemente das convicções políticas, credo religioso e etnia.

O Governo da província, de acordo com a nota, reafirma a sua total vontade de continuar a trabalhar na edificação de uma sociedade cada vez mais justa, de progresso e bem-estar para todos, horando à memória de todos quantos contribuíram e continuam a fazê-lo para a consolidação da Paz e da democracia em Angola.

Assim, o governador do Bié convida a população a participar vivamente nas actividades alusivas ao 4 de Janeiro, manifestando a sua alegria pela conquista da liberdade, democracia e da Paz efectiva e duradoura, que o país alcançou em 2002, com os acordos do Luena (Moxico).

De salientar, a data reveste-se de transcendente importância na história da luta de libertação nacional, uma vez que marcou o início de uma revolta contra a ocupação colonial portuguesa, de cerca de 500 anos (1482-1975), e que ceifou a vida de milhares de patriotas.

A efeméride marca, por outro lado, um acontecimento histórico, quando mais de dez mil camponeses da ex-companhia de Algodão de Angola (Cotonang) foram barbaramente assassinados pelo exército colonial português, por exigirem os seus direitos como trabalhadores, a isenção de pagamentos de imposto e a abolição do trabalho forçado.

O acontecimento estendeu-se aos municípios do Quela, Kunda-dia-base e Kiwaba Zonje, na província de Malanje, e Xá-muteba, Kapenda Kamulemba e Cubalo (Lunda Norte), que compreendem a região da Baixa de Kassanje. (ANGOP)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »