Ler Agora:
União Africana autoriza envio de missão ao Burundi
Artigo completo 2 minutos de leitura

União Africana autoriza envio de missão ao Burundi

A União Africana (UA) anunciou o envio de uma missão de 5.000 homens ao Burundi para tentar acabar com a onda de violência no país, mesmo sem a aprovação de Bujumbura.

O Conselho de Paz e Segurança (CPS) da UA, reunido na sexta-feira em Adis Abeba, decidiu “autorizar o envio de uma Missão Africana de Prevenção e Protecção no Burundi (Maprobu) para um período inicial de seis meses”, com possibilidade de renovação.

A UA deu prazo de quatro dias ao governo do Burundi para aceitar e cooperar com a missão.

O conselho advertiu que se o Burundi for contrário ao envio da missão, a UA adoptará “medidas adicionais” para garantir o deslocamento.

É pouco provável que o governo do Burundi, que sempre critica a interferência da comunidade internacional na gestão da crise política dos últimos meses, aceite uma missão militar em seu território.

Mas o CPS ressaltou a “determinação para adoptar todas as medidas apropriadas contra todos os actores ou partes, independente de quem sejam, que impeçam a execução da decisão”.

Em um primeiro momento, a missão contará com 5.000 homens, soldados e policiais, e um componente civil. A Maprobu se unirá aos observadores dos direitos humanos e especialistas militares já presentes no Burundi, segundo o CPS.

O Burundi enfrenta uma grave crise desde o anúncio em Abril da candidatura do presidente Pierre Nkurunziza a um terceiro mandato, considerada por parte da população inconstitucional e contrária ao Acordo de Arusha que acabou com a guerra civil (1993-2006).

O governo não aceita um diálogo fora do país, como exigem os opositores, que actualmente estão em sua maioria no exílio. (AFP)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »