Namibe: Governo aposta em debates sobre problemas estruturantes

Os debates sobre os problemas estruturantes e conjunturais, com destaque para os do sector das Pescas, continuarão a ser promovidos pelo governo do Namibe, por formas a se encontrar soluções reais, disse hoje, sexta-feira, o governador provincial, Rui Falcão.

Discursando na cerimónia de cumprimentos de fim de ano, o governante afirmou que se vai continuar a reflectir de forma responsável e séria, sobre as políticas a adoptar nesta área, para garantir a estabilidade e proporcionar o crescimento.

“Clarificamos as questões e atribuição de licenças de pesca e salvaguardamos os interesses dos nossos empresários quanto à definição de quotas, tendo sempre em consideração as reais capacidades de captura da nossa frota”, disse.

Aventou a possibilidade de aquisição de novas embarcações para a pesca semi-industrial e para a pesca industrial, de modo a garantir que não volte a haver problemas que colocam em risco a viabilidade das empresas em funcionamento ou das que venham a ser recuperadas, protegendo, igualmente, aquelas que venham a ser implementadas nesta área de jurisdição.

“Subsistem os problemas das pequenas empresas de pesca, que por razões de vária ordem estagnaram no tempo e não encontram saídas que permitam a sua recuperação, salvo raríssima excepções”, referiu.

Neste domínio, defendeu que é estritamente necessário que o governo e a associação das Pescas continuem a trabalhar para que se encontrem alternativas viáveis a prossecução dos projectos.

Enfatizou que a questão da pesca artesanal continuará a ser discutida no próximo ano, visando a sua melhor regulação e uma melhor organização.

“Neste ano conseguimos melhorar a capacidade de fiscalização da nossa costa, com a integração de novas unidades de vigilância marítima, convenientemente apetrechadas, mas subsistem ainda alguns problemas que urgem ultrapassar, por forma a podermos rentabilizar o investimento feito”, sustentou o governante.

Segundo o governante, caso este conjunto de tarefas sejam equacionadas convenientemente, será possível reverter o quadro actual do sector das Pescas na província e encontrar soluções eficazes para as situações que hoje se vivem neste domínio.

Por outro lado, o governador Rui Falcão recomendou melhor organização aos empresários ligados ao sector agro-pecuário, de modo a serem os próprios promotores dos seus interesses na província, e não só.

O governo já mostrou que é possível a organização e, para isso, criou as condições de base necessárias para os empresários deste ramo desenvolverem o seu próprio negócio, frisou o responsável, para quem estes devem se unir e contar com o apoio necessário do Executivo, para o seu crescimento.

Apelou as administrações municipais a continuarem a trabalhar com os produtores locais, trazendo para as feiras a produção local, de modo a mostrar as potencialidades da província.

“Fruto deste trabalho, a administração municipal do Virei organizou recentemente a primeira feira do cabrito. Para além de ter sido uma experiência muito rica, proporcionou a venda, em dois dias, de mais de seiscentas cabeças de ovinos e caprinos”, disse.

A cerimónia contou com a presença de deputados, membros do governo, da sociedade civil, empresários, responsáveis de várias instituições de Estado, entre outros convidados. (ANGOP)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »