Greve dos transportes colectivos de Luanda

Os trabalhadores da empresa pública de transportes de Luanda -TCUL – iniciaram uma greve por tempo indeterminado, exigindo o pagamento de 9 meses de salários em atraso.

Segundo a comissão sindical os 1 900 trabalhadores só retomariam o trabalho caso o caderno reivindicativo seja aceite.

Reivindicações que passam por melhores condições de trabalho e assistência médica.

A empresa é considerada tecnicamente falida pelas autoridades. A maioria dos autocarros está avariada e, sem recursos financeiros, não há possibilidade de comprar peças de reposição.

Desde o início da crise financeira em Angola foram várias as empresas públicas e privadas que faliram. Mais de 50 000 trabalhadores caíram no desemprego desde 2014, alegam os sindicatos. (RFI)

com Avelino Miguel, correspondente em Luanda.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »