Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Vice-presidente do MPLA apela maior responsabilidade na gestão financeira

O vice-presidente do MPLA, partido governante de Angola, Roberto Víctor de Almeida, disse sábado, no Dundo, província da Lunda Norte, que a cultura da impunidade deve acabar, apelando, por isso, os gestores e utilizadores dos recursos financeiros maior responsabilidade na realização das tarefas e acções programadas.

O político discursava para mais de dez mil militantes e amigos do MPLA concentrados no Estádio Sagrada Esperança, para festejar o 59º aniversário da fundação do partido a 10 de Dezembro de 1956, onde realçou a necessidade das estruturas de inspecção e fiscalização redobrarem esforços no acompanhamento da gestão dos recursos disponíveis, de modo a garantir melhor desempenho e transparência.

Advertiu que a actual situação económica e financeira do país exige sacrifício e união de todos para ultrapassá-la “ pois a nossa trajectória é de luta e de victórias”, encorajando a criatividade e a racionalidade para transformar a crise em oportunidades para a diversificação da economia e estimular o aumento da produção nacional.

Deste modo, o vice-presidente do MPLA condiciona a transformação rápida de Angola à uma nova mentalidade, o que passa necessariamente pela formação do homem, ao contrário do que aconteceu na época colonial em que o ensino primário, relegado aos autóctones, se oficializou a partir de 1845 e o superior apenas em 1962.

À este respeito, revelou estarem matriculados mais de duzentos mil estudantes como resultado da expansão do ensino num país independente, tendo indicado que só em 2014 graduaram-se mais de treze mil e quinhentos no ensino superior ao nível nacional.

Fazendo uma breve incursão à história, Roberto de Almeida, enfatizou a estratégia da paz em 2002, sob a liderança do presidente, José Eduardo dos Santos, que permitiu a normalização do país e ganhos que dispensam referências por serem demasiado evidentes.

No acto que decorreu sob o lema “MPLA com o povo, rumo à victória” o partidário admite haver ainda muito por se fazer, tendo em conta o quanto a guerra afectou o tecido social no que tange ao amor para com o próximo, ao patriotismo e a ética, entre outros valores morais e cívicos perdidos, que caracterizam a matriz social e cultural dos angolanos.

A comitiva do vice-presidente, Roberto Víctor de Almeida, integrada pela secretária-geral da OMA, pelo responsável do grupo de acompanhamento à província da Lunda Norte, o segundo secretário nacional da JMPLA, nomeadamente, Luzia Inglês, Cândida Celeste da Silva, Francisco Boaventura Chitapa e deputados, entre outros membros do Secretariado do Bureau Político do MPLA. (ANGOP)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »