- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Brasil Dilma veta doação de empresas para campanhas eleitorais

Dilma veta doação de empresas para campanhas eleitorais

(Getty Images)
(Getty Images)

Presidente publica sanção a projeto de reforma política, mas exclui capítulo que prevê financiamento privado. Ela usa como justificativa a decisão do STF, que recentemente classificou a prática como inconstitucional.

A presidente Dilma Rousseff vetou nesta terça-feira (29/09) a doação de empresas para campanhas eleitorais e partidos políticos, a qual havia sido mantida num projeto de lei aprovado pelo Congresso, mas declarada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Dilma sancionou o projeto de lei da reforma política aprovado pelo Legislativo, mas decidiu vetar o capítulo que mantém o financiamento de campanhas eleitorais por empresas privadas, permitida e regulada desde 1995.

Como justificativa para o veto, a presidente usou a decisão adotada recentemente pelo STF, que decretou a prática inconstitucional no último dia 17 de setembro . O Supremo entendeu que doações de empresas para partidos políticos e candidatos desequilibram a disputa, pois “o poder econômico acaba capturando o poder político”.

Na opinião da maioria dos juízes do STF, a possibilidade de que empresas privadas financiem a política foi um dos fatores que propiciou a rede de corrupção que se instalou na Petrobras.

“A possibilidade de doações e contribuições por pessoas jurídicas a partidos políticos e campanhas eleitorais […] confrontaria a igualdade política e os princípios republicano e democrático, como decidiu o Supremo Tribunal Federal”, diz o texto da sanção ao projeto de lei publicado por Dilma no Diário Oficial da União.

Dilma também vetou a proposta que previa que as urnas eletrônicas imprimissem o voto, o que criaria um custo adicional de 1,8 bilhão de reais à Justiça Eleitoral.

A presidente manteve, no entanto, a regra que altera a fidelidade partidária, o que significa que deputados federais só poderão mudar de partido sem risco de perder o mandato no sétimo mês antes de eleições. (dw.de)

LPF/efe/ots

- Publicidade -
- Publicidade -

Ministra de Estado avalia projectos paralisados

A ministra de Estado para Área Social, Carolina Cerqueira, avaliou, ontem o grau de execução física de alguns projectos de impacto social no Huambo,...
- Publicidade -

Tribunal absolve activistas detidos no Uíge que acusam a polícia de tortura

Um deles conta que agentes da polícia fracturam-lhe a perna e o braço numa cela do tribunal Os três membros do projecto político CRENTES-PJ, liderado...

Parlamento anula transferência de 476 milhões do Fundo de Resolução para Novo Banco

Proposta do BE foi aprovada com votos a favor do PSD, PCP e PAN. O PS acusou já de madrugada o PSD de “irresponsabilidade...

Euclides da Lomba no “Conversas Acústicas”

O músico Euclides da Lomba é o convidado do programa Conversas Acústicas, a decorrer domingo, no Espaço Luanda. O evento consiste em noites multiculturais de...

Notícias relacionadas

Ministra de Estado avalia projectos paralisados

A ministra de Estado para Área Social, Carolina Cerqueira, avaliou, ontem o grau de execução física de alguns projectos de impacto social no Huambo,...

Tribunal absolve activistas detidos no Uíge que acusam a polícia de tortura

Um deles conta que agentes da polícia fracturam-lhe a perna e o braço numa cela do tribunal Os três membros do projecto político CRENTES-PJ, liderado...

Parlamento anula transferência de 476 milhões do Fundo de Resolução para Novo Banco

Proposta do BE foi aprovada com votos a favor do PSD, PCP e PAN. O PS acusou já de madrugada o PSD de “irresponsabilidade...

Euclides da Lomba no “Conversas Acústicas”

O músico Euclides da Lomba é o convidado do programa Conversas Acústicas, a decorrer domingo, no Espaço Luanda. O evento consiste em noites multiculturais de...

PF investiga crimes na Petrobras em nova fase de Lava Jato

Autoridades cumprem dois mandados de busca e apreensão em Angra dos Reis e Aruruama, ambas cidades do Rio de Janeiro A PF deflagrou na última...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.