Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Inflação prossegue marcha ascendente

Luanda (Foto: D.R.)
Luanda
(Foto: D.R.)

A classe “Alimentação e Bebidas não Alcoólicas” foi a que mais contribuiu para o aumento do nível geral de preços em Luanda, seguida de “Transporte” e “Vestuário e Calçado”.

O custo de vida em Luanda, que serve de referência para se determinar o nível de inflação no País, aumentou 11,0% em Agosto deste ano, uma subida de 3,9 pontos percentuais (p.p.) face ao mesmo mês de 2014, altura em que foi de 7,0%, de acordo com dados oficiais avançados pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE), na sua folha de informação rápida.

Em termos mensais – Julho a Agosto – o IPC de Luanda determinado pelo INE, que considera como período de base Dezembro de 2014, indica que os preços variaram 1,1%. A instituição refere que a classe “Transporte” foi a que registou o maior aumento de preços, com 1,72%. Destacam-se também os aumentos dos preços verificados nas classes “Vestuário e Calçado”, com 1,55%, “Mobiliário, Equipamento Doméstico e Manutenção”, com 1,52%, e “Hotéis, Cafés e Restaurantes”, com 1,44%.

A classe “Alimentação e Bebidas não Alcoólicas” – a que mais pesa no orçamento das famílias angolanas – foi a que mais contribuiu para o aumento do nível geral de preços em Luanda, seguida de “Transporte, “Vestuário e Calçado” e “Mobiliário, Equipamento Doméstico e Manutenção”.

O quadro com a taxa de variação do IPC, por classes de consumo, apresentado pelo INE mostra que das doze classes, oito apresentam taxa de 1 dígito (Alimentação e Bebidas Alcoólicas; Bebidas Alcoólicas e Tabaco; Vestuário e Calçado; Mobiliário, Equipamento Doméstico e Manutenção; Saúde; Transportes e Hotéis, Cafés e Restaurantes). As restantes classes tiveram variações inferiores à unidade.

As classes “Comunicações” e “Educação” não registaram variação durante o mês em análise.

Zaire regista segunda maior variação

Das restantes 17 províncias, Zaire foi a que registou a segunda maior variação (0,99%), entre os meses de Julho e Agosto deste ano, com a classe “Alimentação e Bebidas não Alcoólicas” a destacar-se com o maior aumento de preços (1,32%).

Destacam-se também os aumentos dos preços verificados nas classes “Mobiliário, Equipamento Doméstico e Manutenção” com 1,21%, “Vestuário e Calçado” com 1,03% e “Transportes” com 0,80%.

No mês de Agosto, o IPC variou 0,98% no Namibe; 0,97% no Cuanza Sul; 0,92% no Bié, Cuando Cubango e Huíla; 0,91% na Lunda Norte; 0,90% na Lunda Sul; 0,89% no Cunene; 0,85% no Moxico e 0,83% no Huambo. No Bengo a inflação variou 0,78%; no Uíge 0,77%; 0,72% no Cuanza Norte, Benguela 0,70%, e Cabinda teve uma variação de 0,64%.

A classe Vestuário e Calçado com 1,20% foi a que registou o maior aumento de pre- ços a nível nacional. Destacam-se também os aumentos dos preços verificados nas classes “Mobiliário, Equipamento Doméstico e Manutenção” e “Hotéis, Cafés e Restaurantes” com 1,16% cada e “Transportes” com 1,15%. (expansao.ao)

Por: Francisco de Andrade

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »