- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Angola Importadores querem cortar medicamentos a hospitais angolanos

Importadores querem cortar medicamentos a hospitais angolanos

Medicamentos (DR)
Medicamentos (DR)

Importadores ameaçam cortar o fornecimento de medicamentos aos hospitais públicos. Motivo: Dificuldades na transferência de dinheiro e o Governo não paga o que lhes deve há um ano.

Enquanto o Ministério da Saúde admite que a ruptura poderá ser iminente, o Sindicato dos Enfermeiros de Luanda diz que a falta de materiais gastáveis e de biossegurança é já um facto há vários meses.

O seu responsável Afonso Kileba disse à VOA que a falta de medicamentos já esteve na origem de uma reivindicação que até ao momento não foi atendida pela entidade empregadora.

O Ministério de Saúda previa realizar na última semana uma reunião de emergência com o Ministério das Finanças e fornecedores para travar ‘cortes radicais’.

Segundo o semanário  “Nova Gazeta”, o Banco Nacional de Angola havia definido que a importação de medicamentos  seria uma das prioridades no provimento de divisas,  mas tal não tem sido cumprido

O director nacional de Medicamentos e Equipamentos do Ministério da Saúde, Boaventura Moura, foi citado pelo jornal como tendo conhecimento das dificuldades enfrentadas pelas importadoras.

Moura justificou o problema como sendo uma “consequência conjuntural” do contexto do país. Reconheceu haver processos que desde o ano passado não têm resposta dos bancos. (VOA)

- Publicidade -
- Publicidade -

Potencial petrolífero é de 40 mil milhões de dólares

As empresas angolanas do sector petrolífero apenas aproveitam cerca de 10 por cento do potencial estimado em 40 mil milhões de dólares que a...
- Publicidade -

França quer punir delito de “ecocídio”

Proposta apoiada pelo governo prevê pena de até dez anos de prisão e multa de até 4,5 milhões de euros para quem causar danos...

Burkina Faso: Jihadistas impedem o voto de 300 mil eleitores

As eleições presidenciais e legislativas no Burkina Faso tiveram lugar num contexto de ameaças de grupos radicais islâmicos. Não houve registo de violência na...

Obras do novo Aeroporto Internacional de Luanda retomadas em Janeiro de 2021 e sem financiamento adicional, garante ministro dos Transportes

As obras do novo aeroporto internacional de Luanda vão ser retomadas no princípio de 2021 e serão concluídas no prazo de dois anos, garantiu...

Notícias relacionadas

Potencial petrolífero é de 40 mil milhões de dólares

As empresas angolanas do sector petrolífero apenas aproveitam cerca de 10 por cento do potencial estimado em 40 mil milhões de dólares que a...

França quer punir delito de “ecocídio”

Proposta apoiada pelo governo prevê pena de até dez anos de prisão e multa de até 4,5 milhões de euros para quem causar danos...

Burkina Faso: Jihadistas impedem o voto de 300 mil eleitores

As eleições presidenciais e legislativas no Burkina Faso tiveram lugar num contexto de ameaças de grupos radicais islâmicos. Não houve registo de violência na...

Obras do novo Aeroporto Internacional de Luanda retomadas em Janeiro de 2021 e sem financiamento adicional, garante ministro dos Transportes

As obras do novo aeroporto internacional de Luanda vão ser retomadas no princípio de 2021 e serão concluídas no prazo de dois anos, garantiu...

Sonangol e Endiama serão parcialmente privatizadas até 2022

O Governo vai dispersar em bolsa uma parte das empresas petrolífera e diamantífera Sonangol e Endiama em 2021 ou no início de 2022, disse...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.