Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Santana e Portas unidos na luta “contra as sondagens”

Quem o diz é Pedro Santana Lopes no prefácio do livro ‘Insondáveis Sondagens’.

Pedro Santana Lopes  (D.R)
Pedro Santana Lopes (D.R)

Diogo Agostinho e Alexandre Guerra são os autores da obra ‘Insondáveis Sondagens’. Para escrever o prefácio e posfácio escolheram Pedro Santana Lopes e Paulo Portas, respetivamente. E as críticas às sondagens e à forma como são realizadas em Portugal não se fizeram esperar.

Escreve o Diário de Notícias (DN) que o atual provedor da Santa Casa da Misericórdia assegura que “nunca” nenhuma sondagem o favoreceu: “Antes pelo contrário, sempre tive que lutar contra as sondagens”.

Assim, o ex-líder do PSD descreve as sondagens como “uma perversão do sistema político, porque é permitido que empresas privadas influenciem de um modo determinante, sem o devido escrutínio, aquele que é o sentido de voto dos cidadãos”.

Por esta razão, escreve o DN, Santana Lopes assegura que este tipo de inquérito “torna-se quase arma de destruição”.

Quem também aponta críticas às sondagens é o vice-primeiro-ministro. Paulo Portas escreve no posfácio que “por vezes, no rescaldo das eleições e das projeções, referem-se a erros de 2% e parece coisa pouca. Mas esses 2% podem mudar todo o quadro político e governativo, seja de uma autarquia, região ou país”, assegura.

E mais. Portas garante que o problema “não está na margem de erro, está no erro largamente superior à margem” e aponta um erro crasso na realização das sondagens. Esta lacuna, explica, prende-se com o facto de os inquéritos serem feitos apenas através da rede fixa e durante o dia. Desta forma, “as pessoas que são alvo de perguntas são ou jovens ou idosos”, pois a grande massa eleitoral está a trabalhar.

Por seu lado, os autores da obra defendem que “o mundo das sondagens políticas em Portugal se caracteriza pela excessiva personificação dos seus ‘players’ e alimenta-se das relações entre empresas do setor, partidos e comunicação social”. (noticiasaominuto.com)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »