Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Mais de 200 reféns do Boko Haram estão grávidas

Mulher recentemente libertada do cativeiro do Boko Haram alimenta os filhos (Afolabi Sotunde/REUTERS)
Mulher recentemente libertada do cativeiro do Boko Haram alimenta os filhos (Afolabi Sotunde/REUTERS)

“Faziam turnos para me violarem. Estou grávida e não sei quem é o pai”. O relato é de uma jovem de 23 anos, feita refém pelo grupo Boko Haram na Nigéria e recentemente libertada. Há 214 mulheres e meninas na mesma situação.

Pelo menos 214 mulheres e raparigas, entre as cerca de mil reféns do grupo Boko Haram que foram libertadas nos últimos dias em operações do Exército nigeriano, no nordeste da Nigéria, estão grávidas.

“Tornaram-me um objeto sexual. Faziam turnos para estar comigo. Agora estou grávida e não sei quem é o pai”, disse Asabe Aliyu, de 23 anos, num relato ao jornal nigeriano “Daily Times” sobre os seis meses de cativeiro.

“A cada dia morria uma de nós e só pensávamos que tinha chegado a nossa vez. Não podíamos mexer-nos um centímetro, até para fazermos as nossas necessidades nos acompanhavam”, recordou Asabe Umaru.

Durante as operações de resgate na floresta de Sambisa, quem resistiu a acompanhar os militantes do Boko Haram na fuga foi apedrejada. “Peguei no meu bebé junto ao estômago para o proteger e encolhi-me. Algumas morreram apedrejadas”, contou Lami Musa, de 27 anos.

Violadas, casadas à força, obrigadas a ver pais e maridos a serem mortos à sua frente… os relatos têm sido conhecidos aos poucos desde que foram libertadas no fim de semana em três operações militares. Estão atualmente em campos de refugiados.

A maioria necessita de assistência médica e psicológica urgente e especializada por estarem traumatizadas com os abusos de que foram vítimas, sublinha o médico Babatunde Osotimehin, do Fundo das Nações Unidas para a População.

Segundo a Amnistia Internacional, cerca de duas mil mulheres terão sido sequestradas no último ano pelo Boko Haram. (jn.pt)

 

Deixe uma comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »