Ler Agora:
PND 2013/2017 continua em execução, diz responsável do Minfin
Artigo completo 2 minutos de leitura

PND 2013/2017 continua em execução, diz responsável do Minfin

Director nacional dos orçamentos locais do Ministério das Finanças, Lino Quienda Mateus Sebastião. (Foto: Gaspar dos Santos)

Director nacional dos orçamentos locais do Ministério das Finanças, Lino Quienda Mateus Sebastião. (Foto: Gaspar dos Santos)

O director nacional dos orçamentos locais do Ministério das Finanças (Minfin), Lino Quienda Mateus Sebastião, afirmou hoje, terça-feira, em Luanda, que o Governo tem medidas concretas para enfrentar a actual situação da queda do preço do petróleo no mercado internacional, sem que haja a necessidade de desequilibrar a economia nacional.

Lino Quienda fez esta afirmação na palestra sobre “O comportamento do preço do petróleo no mercado internacional: leituras e consequências”, promovida pela Escola Nacional de Administração (ENAD), com o objectivo de sensibilizar a sociedade sobre a influência do comportamento do preço do petróleo no mercado internacional e suas consequências para a economia angolana.

O responsável referiu ainda que as metas do governo constantes do Plano Nacional de Desenvolvimento (PND) 2013/2017 continuam válidas e em execução, por conter projectos que fazem o país crescer de forma segura.

Por seu turno, o director nacional de comercialização externa do Ministério dos Petróleos, Manuel Albino Ferreira, disse que a racionalização de despesas a todos os níveis deve ser a aposta do governo e das famílias em geral para enfrentar a actual queda do preço do petróleo no mercado internacional.

Afirmou ainda que a actual situação da queda do preço do petróleo no mundo deve ser encarada como uma oportunidade para a aceleração do processo de diversificação da economia nacional.

Essa situação, prosseguiu o gestor, deve ser encarada e implementada com rigor, principalmente na racionalização das despesas públicas e familiares.

“Devemos fazer uma racionalização não só para evitar gastos, mas para podermos criar poupanças e chamar a atenção sobre os gastos desnecessários que temos constatado em todo o país”, disse.

A palestra, promovida pela Escola Nacional da administração (ENAD), teve como objectivo contribuir para o aumento da eficiência e qualidade dos serviços públicos e privados para a solidificação do crescimento económico e do desenvolvimento sustentável do país. (portalangop.co.ao)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »