Papel dos professores amplia desafios para alcançar a excelência

Presidente da Comissão Administrativa da Cidade de Luanda (CACL), José Tavares Ferreira (Foto: Arquivo/Luís do Nascimento)
Presidente da Comissão Administrativa da Cidade de Luanda (CACL), José Tavares Ferreira (Foto: Arquivo/Luís do Nascimento)

O presidente da Comissão Administrativa de Luanda, José Tavares, assegurou nesta quinta-feira, na capital do país, que o papel dos professores em prol do investimento no capital do humano e social amplia a relevância dos desafios a enfrentar para alcançar a excelência.

O responsável falava na palestra sobre Movimentos Sociais e Grupos de Pressão, sua Transversalidade a Lei Nº 21/92 (Lei Sindical) realizada pelo Sindicato Nacional de Professores e Trabalhadores do Ensino não Universitário (Sinptenu) a propósito do 7º aniversário da organização sindical.

Salientou que a excelência deve ser o resultado de objectivos previamente estabelecidos, que passam pelo alto nível profissional, social, ético e matéria, em suma, potencializar um sistema de educação que atraia e retenha professores motivados para o processo de ensino e aprendizagem e que produza alunos bem formados.

Lembrou que o Plano Nacional de Formação de Quadros define a necessidade do aumento e largamento do ensino geral e técnico profissional, com vista a utilização plena de todas aptidões e recursos intelectuais existentes, como condição necessária à promoção dos valores morais e culturais e a continuidade do desenvolvimento económico-social.

Apelou ao sindicato para maior flexibilidade e sensibilidade no tratamento das questões reivindicativas, tendo em conta o momento sócio-económico que o país vive, com a redução de recursos devido a crise do momento, originada pela queda brusca do preço do petróleo no mercado mundial.

Por sua vez, o presidente do Sindicato Nacional de Professores e Trabalhadores do Ensino não Universitário (Sinptenu), José João Adão, afirmou que a sua organização alcançou, em 2014, níveis organizativos aceitáveis, o que permitiu o aumento do número de filiados de 15 mil, em 2013, para 20 mil, em 2014.

Sublinhou que o ano transacto foi de grandes realizações do ponto de vista funcional e de defesa dos interesses dos associados, afirmando ter havido um acompanhamento da vida laboral dos filiados, mormente o processo de ajuste de categorias salariais e de promoções, de acordo com a nova filosofia do Sistema Integrado de Gestão Financeira do Estado.

José João Adão asseverou que enquanto parceiro do Estado, o sindicato acompanhou o concurso público no sector da educação promovido pelo Governo da província em 2014.

“A par destas acções fizemos também visitas de ajuda e controlo aos municípios e mantivemos contactos com os órgãos afins como a Direcção Provincial da Educação, o Governo Provincial, a direcção das finanças e outros parceiros”, realçou o sindicalista.

Lembrou que o Sinptenu realizou diversas actividades nas províncias de Malanje, Zaire, Namibe, Bengo e Luanda.

Por seu turno, a directora da Educação municipal de Luanda, Joana Torres, disse que o município necessita de mais professores para o asseguramento da actividade a nível da instituição, que conta com 279.598 alunos matriculados no presente ano lectivo, mas não revelou o número de docentes existentes.

Em declarações à Angop, a responsável frisou que o município de Luanda tem 169 escolas primárias, 69 escolas secundárias do I ciclo e 12 do II ciclo, cujos resultados e processo futuro depende primordialmente das qualidades e competências dos professores em geral e das qualidades humanas, pedagógicas e profissionais de cada um em particular.

Participaram na palestra, professores, sindicalistas, funcionários da Comissão Administrativa e de Educação no Município de Luanda.

O Sinptenu vai realizar de 6 a 7 de Março um simpósio em Ndalatando, província do Cuanza Norte, sobre avaliação do desempenho e actualização das categorias. (portalangop.co.ao)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »