Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

O Sentido da Rádio

0
Gabriel Baguet Jr (OJE)
Gabriel Baguet Jr (OJE)

Recentemente o Dia Mundial da Rádio foi celebrado em todo o mundo. O dia 13 de Fevereiro foi a data escolhida para esta celebração tão necessária e pertinente à escala mundial. A existência Rádio atingiu uma dimensão global inquestionável e em plena Era da Informação e da multiplicação de plataformas de comunicação, verificamos que a Rádio continua a ocupar um lugar previligiado de comunicação e de escolha do público em geral em diferentes geografias. A Rádio a aproxima. A Rádio informa em tempo real e tem a vantagem de ser audível em diferentes meios e lugares e mesmo os mais recentes meios de comunicação e suporte tecnológico, não substituiram a Rádio. Ela tem a sua própria magia. Alguém um dia definiu-me a Rádio como um aparelho que transforma a vida e conduz-nos através de várias vozes do mundo. Vozes cujos rostos não conhecemos mas que comunicam connosco nos mais elementares actos dos nossos dias. Como referiu Irina Bokova, Directora Geral da UNESCO, “ a quarta edição do Dia Mundial da Rádio incide sobre as mulheres e homens jovens. Nesta ocasião, a UNESCO apela para uma maior inclusão social da geração com menos de 30 anos de idade, que responde por mais da metade da população do mundo, e sublinha o poder do rádio para contribuir para este objectivo.Mulheres e homens jovens não são suficientemente representados na mídia -. Uma exclusão que muitas vezes reflete a exclusão em ambições sociais, económicas e democráticas produtores e as emissoras de Jovens ainda são muito raras. Muito poucos programas são dedicados a ou concebidos por jovens. Este défice explica os muitos estereótipos sobre os jovens que circulam nos meios de comunicação e sobre as ondas.Rádio fornece os meios para a mudança.É um instrumento de coesão, educação e cultura.É uma plataforma de intercâmbio, onde os jovens podem encontrar o seu lugar e se expressar.Muitas vezes, é através de pessoas jovens (jornalistas cidadãos ou freelancers) que a imprensa internacional são capazes de cobrir assuntos actuais em regiões sensíveis ou perigosas. Muitos arriscaram as suas vidas ao serviço de informações e do rádio.Apoiandolos melhor, dando-lhes mais voz, podemos expor as ideias inovadoras e novos pontos de vista e renovar energias colectivas.Este é o objectivo do Dia Mundial da Rádio, em 2015, reflectindo os esforços da UNESCO para combater todas as formas de discriminação.Rádio também ajuda a criar um senso de comunidade, através da divulgação de informações. Ele suporta comunidades em sair do seu isolamento em situações de conflito armado, a tensão política e as dificuldades humanitária. A UNESCO está actualmente a utilizar o rádio para transmitir mensagens de emergência de saúde na resposta à crise Ebola. A Rádio também pode ajudar a reconstruir os laços sociais em comunidades de refugiados e UNESCO contribui aqui para disseminar a educação, cultura e informação, apoiando programas criados e hospedados por jovens.” Mas a Directora-Geral da Rádio vai mais longe e apelo a todos os Estados Membros da UNESCO e parceiros, especialmente no mundo do Rádio, para reunir-se em torno deste meio e fazer mais do mesmo como uma força para a inclusão social, o diálogo entre as gerações e de mudança social.” Este apelo de Irina Bokova tem particular pertinência numa altura em que as assimetrias entre o meio urbano e rural se acentuam e os conflitos geracionais aumentam muitas vezes por falta de adequada informação. Estou certo que trazendo os jovens para o centro do Debate Público através da Rádio é mais uma forma de espelharem inquietações, mas igualmente ideias e criatividade face a novos conteúdos programáticos a incluir em grelhas de Programas a divulgar quer no campo, quer na cidade. Aliás, as Rádios Univerrealidasitárias podem ser o espelho dessa diversidade que caracteriza a Juventude no seu todo, mas igualmente o meio para juntar Criatividade, Cultura e Conhecimento. E no plano da informação sobre a condição da Mulher, não há dúvida nenhuma que não por questões de género, mas por pleno direito, a Rádio pode e deve trazer na sua linha de actuação em termos globais mais Programas e Informação sobre a realidade da Mulher em contexto urbano e contexto rural. Duas realidades distintas, mas dois meios capazes de expressar preocupações e perspectivas capazes de olhar para a Sociedade com mais tolerância e mensagens de esperança como me referiu uma grande investigadora francesa na área da Farmacologia. Martine S. Michél, num artigo de opinião referiu que embora a sua área de trabalho seja o mundo da Farmácia enquanto Ciência, também acrescentou que a Rádio pode dar informação útil nesta área, mas pode e deve no actual contexto do mundo,noticiar mais esperança e tolerância entre as pessoas “. Ideia com a qual concordo inteiramente pelos niveís crescentes de intolerância religiosa e cultural. E se outros meios de Comunicação e Informação podem veicular esta mensagem, a Rádio tem a dupla vantagem quer em casa, no carro em que andamos ou no trabalho de trazer até nós, estas e outras informações sobre a condição da Mulher e abordagens temáticas sobre o seu papel na História da Humanidade, mas igualmente o seu papel no Século XXI. Esta é uma ideia global. A Rádio tem sentido em ser celebrada e lembrada. Seja na Escola, na Sociedade e como meio de aproximação geracional. No caso do nosso País a Rádio teve e tem um papel crucial. E ao longo da nossa História a Rádio ocupou e ocupa um lugar sagrado. E essa Memória não pode perder-se. Antes lembrar as Vozes que fizeram a Rádio em Angola, os que fazem e os que darão continuidade. Talvez e porque não criar em Angola um Museu da Rádio ? Julgo que seria uma forma de percorrer a Memória, a História das Mulheres e dos Homens que deram o seu contributo a nossa História radiofónica e que hoje as novas gerações cruzam o presente e o futuro mas sem esquecer a História. É de admirar esse gesto para quem escuta as nossas Emissões quer as de domínio público, quer as de domínio privado. A Rádio é um bem inseparável do nosso quotidiano e das nossas vidas. A Televisão não substituiu a Rádio. Antes, complementam-se e fundem-se em estratégias comunicacionais diferentes. A Rádio tem sentido. (opais.co.ao)

por Gabriel Baguet Jr.

1 comentário
  1. Manuel Abecassis Duarte Melo Diz

    Extraordinário Artigo. Exemplar forma de Dar Sentido à Rádio. Angola não tem falta de Quadros. Tem Quadros mal aproveitados dentro e fora do País. O Presidente da República já se manifestou que já não basta ser do Partido. E também não há nada contra o Partido. Mas aproveitem todos os Quadros sejam ou não do Partido.
    Uma pessoa verifica que são sempre os mesmos a receber Prémios, Louvores e alguns já recebem aos 60 anos Louvores que deviam ter recebido aos 50 ou aos 40 anos. O mérito não tem idade. Dá gosto ler um Carlos Rosado de Carvalho, Reginaldo Silva, Gustavo Costa, Dani Costa, Gabriel Baguet Jínior, Carlos Gonçalves e outros profissionais que deviam ser valias constantes da nossa Comunicação e não são devidamente reconhecidos. A Nação precisa de todos os seus filhos. E de todos que são válidos. E a Direcção do Portal de Angola tem um grande trabalho quando leva ao grande público Artigos de qualidade para ler.

Deixe uma comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »