MPD debate futuro do desenvolvimento em Cabo Verde

Ulisses Correia e Silva, Líder do MPD e Presidente da Câmara Municipal da Cidade da Praia (Carina Branco)
Ulisses Correia e Silva, Líder do MPD e Presidente da Câmara Municipal da Cidade da Praia
(Carina Branco)

O segundo maior partido de Cabo Verde, MPD, na oposição, organizou, na capital, este fim-de-semana, uma Conferência Internacional, para debater questões político-económicas, na perspectiva da ganhar as eleições de 2016.

Sob o lema, “Ganhar os desafios da próxima década”, decorreu, este sábado e domingo, (31 de Janeiro e 1 de Fevereiro), na capital cabo-verdiana, Praia, uma Conferência Internacional, organizada pelo MPD, Movimento para a Democracia, principal formação política da oposição.

Durante a Conferência, foram analisados e debatidos, assuntos ligados à economia de desenvolvimento, finanças, empresas, justiça, segurança,  a própria situação política, que se vive actualmente, em Cabo Verde, governado pelo PAICV.

Para analisar e perspectivar estas temáticas, o MPD, convidou, especialistas nacionais e estrangeiros, mas também, militantes e cidadãos da sociedade civil, interessados no desenvolvimento de Cabo Verde.

No final da Conferência, o líder do MPD, Ulisses Correia e Silva, disse à imprensa que Cabo Verde, precisa de roturas e de novas políticas de desenvolvimento, encarnadas só pelo seu Partido:

“Precisamos de  fazer rupturas, no estádio de desenvolvimento do país. Mudar a atitude, no sentido, primeiro, de acreditar, no país. Acreditar que este país, é um país viável, que é um país, que nós temos que construir com qualidade.

Para que tal seja possível, acrescentou, o Presidente do Movimento da Democracia, Ulisses Correia e Silva, “é preciso, um pensamento estratégico, é preciso envolvimento, é preciso criar uma cultura de diálogo, de auscultação, de ouvir, fazer participar. Não só os nossos quadros, os nossos técnicos, mas o cidadão comum.”

É, pois, nesta perspectiva, de envolver todos os interessados, que o MPD, vai declinar, esta Conferência Internacional, em várias outras Conferências regionais, a nível de todas as ilhas, nos próximos tempos, e tendo sempre como objectivo, ganhar as eleições gerais de 2016. (rfi.fr)

por Odair Santos

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »