Ministro dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau termina visita ao país

Ministro dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau, Mário Lopes da Rosa, falando à Imprensa (Foto: HenriCelso)
Ministro dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau, Mário Lopes da Rosa, falando à Imprensa (Foto: HenriCelso)

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau, Mário Lopes Rosa, terminou, na manhã de hoje (sexta-feira), a sua visita de três dias a Angola, que serviu para tratar com as autoridades locais assuntos ligados ao reforço das relações de cooperação entre os dois países.

Antes de deixar Luanda, com destino a Bissau, o governante recebeu, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, cumprimentos de despedida de altos funcionários da Embaixada guineense em Angola e do Ministério das Relações Exteriores.

Durante a visita, Mário Lopes Rosa foi recebido em audiência pelo vice-presidente da República, Manuel Vicente, com quem analisou aspectos das relações bilaterais e formulou um convite para Angola participar na Conferência Internacional de Doadores para Guiné-Bissau, prevista para 25 de Março deste ano, em Bruxelas, na capital belga.

Neste quadro, realçou que a preparação da mesa redonda de doadores já está avançada com a realização de uma reunião anterior realizada em Accra, Ghana, e sente que os parceiros estão a agir positivamente.

No domínio da defesa, foi relançada as bases ligadas a cooperação entre os dois países, durante o encontro de trabalho que manteve com titular angolano do sector, general João Lourenço.

No final da audiência, o chefe da diplomacia bissau-guineense adiantou que, “num curto espaço de tempo, o seu país poderá retomar progressivamente o processo das relações de cooperação no domínio da defesa, à semelhança do que vinha acontecendo nos últimos três anos”.

O visitante foi ainda recebido pelo seu homólogo angolano, Georges Chikoti, com quem abordou as expectativas em relação a um papel determinante de Angola no apoio ao seu país durante a referida conferência de doadores.

A Guiné-Bissau, país africano de língua oficial portuguesa, depois de um golpe militar em 2012, realizou, em 2014, eleições gerais, cujos resultados deram uma maioria ao PAIGC, na Assembleia Nacional, e José Mário Vaz, foi eleito Presidente da República. (portalangop.co.ao)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »