Ministro britânico teme acção da Rússia nos países bálticos

Tanques M1A2 Abrams protegem tropas de EUA e Litônia durante exercício militar, em 21 de novembro de 2014 (Foto: US Army/AFP/Arquivos)
Tanques M1A2 Abrams protegem tropas de EUA e Litônia durante exercício militar, em 21 de novembro de 2014 (Foto: US Army/AFP/Arquivos)

A Rússia poderia utilizar com os países bálticos membros da NATO a estratégia que é acusada de aplicar para destabilizar a Ucrânia, advertiu o ministro britânico da Defesa, segundo a imprensa londrina.

A NATO deve estar preparada para uma agressão russa em todas as suas formas, declarou Michael Fallon, que citou um “verdadeiro perigo” para Estónia, Letónia e Lituânia, países membros da Aliança Atlântica.

Kiev e o Ocidente acusam a Rússia de armar os rebeldes e de enviar milhares de soldados para a Ucrânia.

O presidente Vladimir “Putin me inquieta”, declarou Fallon ao jornal The Times.

“Me preocupa a pressão que exerce nos países bálticos, a maneira que tem de testar a NATO”, completou, antes de mencionar a recente passagem de bombardeiros russos perto do espaço aéreo britânico e a detenção de um policial estoniano acusado de espionagem pela justiça russa desde 5 de Setembro, o que voltou a aumentar a tensão entre Moscovo e Talin.

Um porta-voz do ministério da Defesa confirmou à AFP que Fallon fez as declarações aos jornalistas britânicos que o acompanhavam em uma viagem a Serra Leoa, mas não confirmou o conteúdo exacto de suas palavras.

As declarações de Fallon foram divulgadas depois que os separatistas pró-Rússia conseguiram infligir na quarta-feira um novo revés a Kiev, o que obrigou o exército ucraniano a abandonar a cidade estratégica de Debaltsev.

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, pediu o envio de uma missão internacional da UE, com apoio da ONU, para manter a paz no leste do país. (afp.com)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »