Marques Mendes: “Portugal não se devia ter deixado utilizar pela Alemanha”

(ionline.pt)
(ionline.pt)

O comentador criticou a posição de Portugal em relação à Grécia e falou de “oportunismo e hipocrisia”

Marques Mendes mostrou-se satisfeito com o facto de a Grécia ter chegado a acordo com a Europa. “Foi muito bom para a Europa, para a Grécia e para Portugal”.

A Grécia conseguiu, esta sexta-feira, uma extensão de quatro meses para pagar o empréstimo.

“A Grécia ganhou tempo e dinheiro”, afirmou Marques Mendes.

A Grécia não terá novas medidas de austeridade e tem até segunda-feira para apresentar reformas, depois de ter chegado a acordo com a Europa.

No entanto, o comentador considera que a Grécia “cedeu” nas questões essenciais.

Sobre a posição de Portugal em relação à Grécia, Marques Mendes criticou as declarações da ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, e disse que “Portugal não se devia ter deixado utilizar pela Alemanha contra a Grécia”.

“O governo esteve muito mal, falou a três vozes. Parece uma orquestra”.

Marques Mendes diz que o governo parece que “quer mais austeridade”.  “A imagem que passa é que são mais papistas que o Papa”, refere.

 

Clientes contra o BES

2500 clientes compraram 527 milhões de euros em papel comercial aos balcões do BES e até agora não foram ressarcidos dos prejuízos. Marques Mendes fala em “vergonha”.

“Vejo tudo isto com muita preocupação, as autoridades nada fizeram”, disse Marques Mendes sobre as falsas expectativas criadas junto dos clientes do BES que não chegaram a ser ressarcidos.

“Acho isto moralmente inaceitável, chocante”, sublinhou.

“O Banco de Portugal e a CMVM têm de ter intervenção nesta matéria”, disse o comentador no “Jornal da Noite” da Sic.

“Alguém tem de dizer à CMVM e ao Banco de Portugal que isto é uma vergonha”.

“É uma nova machadada na reputação do Novo Banco”, declarou.  (ionline.pt)

por Cláudia Reis

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »