Frelimo e Renamo têm vice-presidentes na Assembleia da República moçambicana

Cidade de Maputo à noite. (DIF)
Cidade de Maputo à noite.
(DIF)

Esta sexta-feira foi o início da primeira sessão da oitava Legislatura. O parlamento elegeu esta sexta-feira dois vice-presidentes da Assembleia da República, tendo eleito um em nome da Frelimo e outro pela Renamo. Situação que provocou o descontentamento do MDM.

Foram indicados dois vice-presidentes para a Assembleia da República, sendo um da Frelimo, partido maioritário, e outro da Renamo, que detém o segundo maior número de assentos.

O Movimento Democrático de Moçambique (MDM), a terceira força política no país, contesta e diz que também tem direito a uma das vice-presidências.

“Entendemos que está claro a pretensão desta magna casa do povo de excluir o Movimento Democrático de Moçambique. Votámos contra, simplesmente porque a nossa exclusão é uma clara demonstração de discriminação”, afirmou José de Sousa, deputado do MDM.

A Renamo preferiu não ir por esse debate e prefere prosseguir objectivos próprios.

“Votámos a favor porque a casa deve funcionar com os seus órgãos constituintes”, realçou Ivone Soares, nova chefe da bancada da Renamo.

Para a Frelimo, a decisão é justa.

“A bancada parlamentar da Frelimo votou a favor por seu justa e legal esta decisão”, frisou a deputada Ana Rita Sithole.

O projecto de lei da criação de regiões autónomas a ser submetido pela Renamo à Assembleia Nacional, promete fortes debates nas próximas sessões da Assembleia Nacional. (voa.com)

 

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »