Cuanza Norte: Mais de 500 alunos com necessidades educativas especiais frequentam aulas no ensino especial

Alunos na sala de aulas (ANGOP)
Alunos na sala de aulas (ANGOP)

Quinhentos e 60 alunos do ensino primário ao II ciclo com necessidades educativas especiais estão a frequentar aulas no presente ano lectivo, na escola do ensino especial, em Ndalatando, província do Cuanza Norte, no âmbito do Programa Educação para Todos.

A informação foi avançada quarta-feira, à Angop, pelo director da instituição, Diogo António Evangelista, aclarando ter havido um aumento de 26 alunos em relação ao ano lectivo de 2014, em que haviam sido matriculados 534 alunos.

Diogo Evangelista explicou que 95 apresentam deficiência de aprendizagem, 90 deficiência auditiva, 87 sofrem de transtornos de conduta, 71 com deficiência intelectual, 50 padecem de atraso mental.

Quarenta e dois alunos com distúrbios de linguagem, 40 com transtornos combinados, 33 portadores de deficiências motoras, 13 com síndrome de down e 11 com deficiências visuais constam igualmente do número de crianças matriculadas na instituição de ensino superior.

Esclareceu que os alunos com deficiências auditivas e da fala matriculados na instituição são primeiramente submetidos a um processo de aprendizagem da linguagem gestual, onde aprendem o alfabeto da referida linguagem.

Para facilitar o processo do ensino e aprendizagem, a escola conta, entre outros meios de ensino, com máquinas em brailes, dicionários manuais e digitais de linguagem gestual, suplemento de leitor analógico ABC e leitor de documentos em tinta.

Em relação ao ano lectivo 2014, o responsável qualificou de positivo o nível de aproveitamento, tendo acrescentado que dos 534 matriculados, 360 terminaram o ano com aproveitamento.

O estabelecimento de ensino destinado à formação de pessoas com necessidades educativas especiais é o único do género na província e possui sete salas de aulas que funcionam em três turnos e um corpo docente constituído por 33 professores.

Diogo Evangelista reiterou ainda o apelo para o enquadramento de mais cinco novos professores, sobretudo para o ensino primário, que exige existência de um docente principal e outro auxiliar para cada turma.

Explicou que são ministradas na instituição disciplinas do currículo do ensino geral, como Matemática, Língua Portuguesa, Educação Manual, Laboral e Plástica, Estudo do Meio, Biologia, Química, Inglês, entre outras, de acordo com as classes.

O subsistema de ensino especial no Cuanza Norte funciona desde 2006 nos municípios de Cazengo (sede da província) e Samba Cajú, onde neste ultimo os alunos com necessidades educativas especiais são integrados em salas de aulas com alunos normais em diferentes escolas do ensino geral, segundo Diogo Evangelista.

A falta de meios para o transporte de alunos, sobretudo os invisuais, de casa à escola e vice-versa, constitui a principal preocupação daquela instituição, que conta com o apoio, do Ministério da Educação e da administração municipal de Cazengo (município sede da província). (portalangop.co.ao)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »