Bié: defendida conclusão das obras das cadeias de Capolo e Cuquema

Octávio Diniz Chipindo - Juiz Presidente do Tribunal Provincial do Bié (Foto: Julino Capingala)
Octávio Diniz Chipindo – Juiz Presidente do Tribunal Provincial do Bié (Foto: Julino Capingala)

O presidente do Órgão da Coordenação da Administração da Justiça na província do Bié, Octávio Diniz Chipindo defendeu nesta sexta-feira, na cidade do Cuito, a necessidade de conclusão das obras das cadeias do Cuquema e da prisão do Capalo.

Em entrevista à Angop, o responsável sublinhou que, a não conclusão das duas cadeias “Cuquema e Capolo” está a criar muitos constrangimentos as autoridades locais, porquanto, nota-se superlotação na cadeia da comarca do Cuito, e nalguns casos do comando municipal da Polícia Nacional no Cuito.

Octávio Diniz Chipindo é da opinião que a conclusão das duas unidades penitenciárias vai contribuir que haja mais humanização dos serviços prisionais, no âmbito do cumprimento dos Direitos Humanos.

As obras de reabilitação Cadeia do Capolo, localizada na comuna da Chicala, cerca de 52 quilómetros a sudoeste da cidade do Cuito, decorrem sem constrangimentos e estão na sua fase final, depois da sua conclusão vai albergar 400 presos, contra os 149 existentes actualmente no local.

Já, as obras de construção da nova cadeia do Cuquema, a 20 quilómetros a sul do Cuito (Bié) decorrem também a um ritmo acelerado.

A cadeia do Cuquema, terá capacidade para albergar mil e quinhentos presos, terá um bloco para acomodar os reclusos, outro administrativo, duas quadras desportivas, refeitório, área de lar, guaritas, entre outros compartimentos.

A prisão do Cuquema terá ainda um posto de saúde e escola, cujas obras estão enquadradas no programa do melhoramento das condições dos reclusos e funcionários afectos aquele organismo.

As novas infraestruturas além de acomodar os reclusos, vai de certa maneira aliviar a sobrelotação existentes nos estabelecimentos prisionais do Cuito, onde neste momento controla mais de 600 presos. (portalangop.co.ao)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »