Ler Agora:
Benguela: Diplomata sul-africano ressalta importância do CFB para sub-região Austral
Artigo completo 4 minutos de leitura

Benguela: Diplomata sul-africano ressalta importância do CFB para sub-região Austral

Embaixador da Africa do Sul em Angola Godfrey Nhalanhla (Foto: Francisco Miudo

Embaixador da Africa do Sul em Angola Godfrey Nhalanhla (Foto: Francisco Miudo

O embaixador da África do Sul em Angola, Godfrey Nhanhala Ngwenya, ressaltou, nesta quinta-feira, em Benguela, a importância do comboio do Caminho-de-Ferro de Benguela (CFB) ter atingido o Luau (Moxico), uma acção que vai proporcionar muitos ganhos aos países da sub-região Austral do continente africano.

Falando à imprensa após uma visita de trabalho efectuada a alguns pontos económicos da cidade do Lobito, o responsável manifestou ainda o seu encanto pela posição geoestratégica da localização dos empreendimentos naquela localidade.

Durante a sua estada de algumas horas na província de Benguela, o diplomata que manteve um encontro logo apos a sua chegada com o governador Isaac Maria dos Anjos e trabalhou na cidade do Lobito, onde visitou as mais modernas infra-estruturas inseridas no Corredor do Desenvolvimento do Lobito, nomeadamente o Porto e o Caminho-de-Ferro de Benguela (CFB).

Godfrey Nhanhala Ngwenya visitou a Estação Nº0, de primeira classe, composta por dois pisos, que marca o ponto de partida dos mil e 344 quilómetros da linha transaccional, manteve um encontro com os membros do conselho de administração do Porto do Lobito, onde recebeu explicações do seu gestor principal, Anapaz de Jesus Neto, e constatou diversas dependências, designadamente a zona de atracagem e reabastecimento de navios, Porto Seco, Porto Mineiro, entre outras.

A primeira fase do projecto Sonaref (Refinaria do Lobito), consubstanciada na construção das infra-estruturas de base, mereceu igualmente a atenção do embaixador Nhanhala Ngwenya, tendo percorrido as obras do terminal oceânico da Refinaria, as novas estradas destinadas à carga convencional e as cargas pesadas, bem como outras infra-estruturas complementares.

Efectuou igualmente uma visita panorâmica, seguida de explicações sobre a obra projectada para processar 200 mil barris de petróleo bruto/dia.

Por seu turno, o director do Projecto Sonaref, Cristóvão Silva, disse estar em cumprimento do cronograma de acções que prevêem a construção da Refinaria do Lobito num prazo de cinco anos, a contar do início de obras (não apontou data do inicio, mas a 1ª pedra foi lançada em Dezembro de 2012).

“Estamos quase no fim da primeira etapa, destinada à construção de infra-estruturas. Por isso, a nossa força de trabalho é de mil e 432 trabalhadores, dos quais mil e 200 nacionais, mas quando o projecto atingir o “pico” serão empregues 30 mil trabalhadores dos mais variados ofícios e qualificações”, disse.

Sem especificar para quando a fase de “pico”, Cristóvão Silva disse tratar-se de um projecto enorme, que vai poder empregra vários cidadãos nacionais, sobretudo jovens.

Para o mesmo responsável, a primeira fase encontra-se no fim e, a breve trecho, se pode começar com a fase de montagem de equipamentos técnicos.

Antes de deixar Lobito, de regresso a Benguela, o embaixador da África do Sul visitou a área onde se projecta a construção da nova zona habitacional do Lobito, denominada Zona Económica Especial, que estará dotada das mais diversas infra-estruturas, desde sociais, comerciais, hospitalares, industriais, desportivos, entre outros, numa região que ao norte marca a divisão com o mais novo município da província, Catumbela.

No final do dia, já na sede provincial, Godfrey Nhanhala Ngwenya visitou os principais locais de produção frutícola, no Vale do Cavaco e a Zona balnear sul de Benguela e participou de um jantar de negócios agraciado pelo governo da província.

O regresso de Godfrey Nhanhala Ngwenya à Luanda está previsto para esta sexta-feira. (portalangop.co.ao)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »