Radio Calema
InicioAngolaMcMissa: projeto quer abrir filiais do McDonalds em igrejas

McMissa: projeto quer abrir filiais do McDonalds em igrejas

(Foto: Reprodução/IndieGoGo)
(Foto: Reprodução/IndieGoGo)

Pouca gente pensaria em comer um McDonalds dentro de uma igreja. Afinal, o sanduíche está associado ao consumismo e refeições rápidas. Já a igreja é lembrada com um lugar de introspecção e de valores espirituais, certo? O projecto McMass (McMissa, em inglês) quer levantar US$ 1 milhão em uma vaquinha no site IndieGogo para construir uma filiar do McDonalds em uma igreja dos EUA.

“Ao combinar uma igreja católica com um restaurante do McDonalds, podemos criar uma igreja popular, auto-sustentável e engajada com a comunidade”, diz o texto de apresentação da vaquinha virtual, criado por Paul Di Lucca, da agência publicitária Lux Dei. A agência é especializada em criar marcas e campanhas para entidades religiosas, conforme noticia a revista Época Negócios.

O projecto quer evitar a fuga de fieis das igrejas. Somente em 2013, 10 mil paróquias fecharam as portas nos EUA: cerca de 3 milhões de católicos abandonaram a igreja. Já o McDonalds atende 10 milhões de pessoas e serve 70 milhões de refeições todo dia em terras ianques. Usadas apenas alguns dias por semana, as igrejas perderam seu papel de ponto de encontro e confraternização.

“Se não resolvermos esses problemas logo, as comunidades eclesiásticas como as conhecemos deixarão de existir. É hora de igrejas se envolverem com o empreendedorismo. O projecto McMass está ajudando a mantê-las no ritmo diante do mundo moderno”, defende a campanha. Diga na caixa de comentários: o que você achou da ideia dessa agência de publicidade para as igrejas? (noticias.yahoo.com)

por Charles Nisz

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.