- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Cultura Apresentação do programa da II edição do Fenacult marca noticiário de Educação...

Apresentação do programa da II edição do Fenacult marca noticiário de Educação & Cultura

A apresentação oficial do programa de actividades em torno realização no país da II edição do Festival Nacional da Cultura(Fenacult), através do Ministério da Cultura, marcou o noticiário de Educação e Cultura da semana finda.

Rosa Cruz e silva - Ministra da Cultura (Foto: Joaquina Bento)
Rosa Cruz e silva – Ministra da Cultura (Foto: Joaquina Bento)

Na apresentação, segunda-feira, das linhas de força do evento de cariz nacional, a ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva, disse que o Fenacult, que se realizará no país entre os dias 30 de Agosto a 20 de Setembro deste ano vai promover a coesão e a unidade nacional.

Por isso, apontou, várias actividades culturais estão programadas pelo Ministério da Cultura sob o lema “A cultura como factor de paz e desenvolvimento”.

Para o coordenador da comissão organizativa do II Festival Nacional de Cultura (Fenacult-2014), Jorge Gumbe, o evento visa a preservação e desenvolvimento das artes, da cultura e as tradições das diferentes comunidades de Angola.

Alguns eventos como espectáculos musicais, dança e teatro, bem como o Jardim do Livro Infantil realizam-se em uma boa parte das províncias do país como antevisão da promoção do Fenacult nas datas indicadas.

Para o secretário de Estado da Cultura, Cornélio Caley, que se debruçava sobre o encerramento do Jardim do livro infantil, que decorreu em várias partes de Angola, de 26 a 29 deste mês, considerou o evento de extrema importância para a formação integral da criança, pois permite adquirir valores morais e de instrução completa, através do incentivo aos hábitos de leitura.

Ainda no sector cultural destacou-se a visita da ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva, a província do Zaire, na quinta-feira, onde pude avaliar o estado actual do trabalho desenvolvido por especialistas angolanos e estrangeiros relativos ao projecto de inscrição de Mbanza Congo a património mundial da humanidade, lançado em 2006.

Nesta ocasião e em declarações à imprensa, Rosa Cruz e Silva, anunciou que o seu pelouro, vai edificar, em a breve trecho, com a colaboração do governo do Zaire, uma escola de arqueologia e um novo museu.

A ministra explicou que a escola, por exemplo, vai formar técnicos de arqueologia que irão reforçar os quadros dos museus de Arqueologia de Benguela e do Zaire.

Outro assunto de suma importância divulgado são as referências feitas a profetiza Kimpa Vita, pelo Secretário de Estado do ensino superior, António Mendes André, e o ministro da Educação, Pinda Simão, sobre a importância desta figura na história de África, no colóquio internacional promovido pela Universidade Kimpa Vita, na província do Uíge.

Para o Secretário de Estado para Ensino Superior e Supervisão, António Miguel André, os investigadores africanos deve aprofundarem as pesquisas em torno da vida e obra da profetiza Kimpa Vita.

Enquanto o ministro da Educação, Pinda Simão, além de ressaltar a figura da profetiza, afirmou que o primeiro colóquio internacional sobre o tricentenário da morte de Kimpa Vita contribuirá na elevação do conhecimento sobre ela, da identidade cultural e da produção científica.

Na semana finda, ressaltou ainda a graduação em Engenharia de 41 angolanos pela Universidade chinesa de Wuhan.

Esta graduação, em engenheiros de Construção Civil e de Electónica, é resultado de um acordo rubricado em 2010 entre o Ministério das Obras Públicas de Angola e a empresa chinesa SINOHYDRO, que leva a cabo várias acções no território angolano.

Para o embaixador de Angola na China, João Garcia Bires, a formação em referencia enquadra-se na concretização de um dos pilares do Plano Nacional de Desenvolvimento 2013-2017 proposto pelo Executivo Angolano à luz da estratégia 2025 que aposta na intensificação do ritmo de formação e melhoria da qualidade do desenvolvimento do homem angolano.

Mencionou-se também no noticiário de Educação e Cultura, a garantia do presidente do Conselho Fiscal e porta-voz da Associação dos Professores Angolanos (APA), Inácio Gonga, de que os membros desta agremiação vão continuar a trabalhar com o Estado na mobilização e sensibilização dos docentes para a despertar a consciência dos mesmos em relação aos problemas da nação.

Esta garantia foi feita por Inácio Gonga, após a cerimónia de encerramento do seminário subordinado ao tema “Reorganização e revitalização da APA rumo a valorização do professor angolano”, que aconteceu nos dias um e dois deste mês, numa promoção da APA. (portalangop.co.ao)

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.