- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Moçambique Presidente Guebuza distingue estadistas africanos pelo papel contra colonialismo

Presidente Guebuza distingue estadistas africanos pelo papel contra colonialismo

Maputo, – O Presidente moçambicano, Armando Guebuza, distinguiu nesta quinta-feira, dia da celebração do 39.º aniversário da independência de Moçambique, vários estadistas africanos, pelo seu contributo para a libertação do país do colonialismo português.

Armando Guebuza - presidente de moçambique (Foto: Pedro Parente)
Armando Guebuza – presidente de moçambique (Foto: Pedro Parente)

No dia nacional de Moçambique, Guebuza distinguiu Kenneth Kaunda, primeiro Presidente da Zâmbia, 90 anos, Julius Nyerere (1922-1999), ex-Presidente da Tanzânia, Ahmed Bela (1918-2012), primeiro Presidente da Argélia, e Seretse Khama (1921-1980), primeiro Presidente do Botswana. Os dois primeiros emprestam já os seus nomes a duas das principais artérias de Maputo.

Armando Guebuza afirmou, durante as cerimónias oficiais, que Moçambique não recebeu ajuda daqueles estadistas e povos só porque a sua luta era e continua a ser justa nem por mera solidariedade, mas porque o apoio foi enquadrado “por princípios humanísticos superiores a todo o cálculo do imediatismo”.

“Ao galardoá-los com as insígnias de títulos honoríficos e condecorações, queremos que sirvam de exemplo para todos os moçambicanos pela coragem, coerência, dignidade e total dedicação à causa do nosso povo e da pátria moçambicana”, afirmou.

O Chefe de Estado moçambicano, que termina a 15 de Outubro o seu segundo e último mandato, distinguiu também a Academia de Ciências Policiais, o Instituto Nacional de Gestão de Calamidades e a Unidade de Intervenção Rápida, pela criação de um ambiente propício ao desenvolvimento do país.

No discurso pronunciado hoje no dia nacional de Moçambique, Guebuza referiu-se a “muitos sucessos” em 39 anos de independência, realçando “a unidade nacional e os fundamentos de uma paz assente no diálogo”.

Moçambique vive o seu pior momento desde o Acordo Geral de Paz, assinado em 1992, entre Governo e Renamo (Resistência Nacional Moçambicana), com o maior partido de oposição a desencadear acções militares quase diariamente na principal estrada do país, enquanto o Exército reforça posições na região da serra da Gorongosa, província de Sofala, onde se presume estar refugiado o líder do movimento, Afonso Dhlakama, que ameaça dividir o país em dois.

Na base das divergências está a reivindicação da Renamo de paridade nas forças armadas e a exigência do Governo de desarmamento do partido de oposição, o que conduziu a um impasse negocial.

O Presidente moçambicano destacou também, no seu discurso, o combate à pobreza, relacionando-o com a luta pela independência.

“Quando o moçambicano compara o antes e o depois da independência, conclui que valeu a pena lutarmos e persistirmos na luta pela nossa independência nacional”, declarou Guebuza, prometendo que Moçambique vencerá este “flagelo” como ultrapassou “a dominação estrangeira”.

“Como no passado, quando proclamávamos que a independência era o nosso direito inalienável, hoje sublinhamos que o direito de não ser pobre é nosso direito inalienável”, afirmou.

Moçambique tem previstas eleições gerais (presidenciais, legislativas e assembleias provinciais) para 15 de Outubro.  (portalangop.co.ao)

- Publicidade -
- Publicidade -

Angola perde diante do e-Swatini por 0-1

A Selecção Nacional Sub-20 comprometeu, ontem, a pretensão de se qualificar para as meias-finais do torneio da Taça Cosafa, ao perder com e-Swatini, por...
- Publicidade -

Costa do Marfim: Laurent Gbagbo recupera seus passaportes marfinenses

Em breve, o ex-chefe de Estado da Costa do Marfim poderá retornar a Abidjan. Após vários meses de espera, Laurent Gbagbo recuperou, nesta sexta-feira, 4...

Novos contos do continente africano

Por ocasião da Feira do Livro e Imprensa Infantil de Montreuil, e da temporada África 2020, close-up de uma coleção de contos intitulada "Babel...

África discute implementação da Zona de Comércio Livre

Os Chefes de Estado ou de Governos africanos reúnem, amanhã, na 13ª sessão extraordinária, dedicada à implementação da Zona de Comércio Livre Continental Africana...

Notícias relacionadas

Angola perde diante do e-Swatini por 0-1

A Selecção Nacional Sub-20 comprometeu, ontem, a pretensão de se qualificar para as meias-finais do torneio da Taça Cosafa, ao perder com e-Swatini, por...

Costa do Marfim: Laurent Gbagbo recupera seus passaportes marfinenses

Em breve, o ex-chefe de Estado da Costa do Marfim poderá retornar a Abidjan. Após vários meses de espera, Laurent Gbagbo recuperou, nesta sexta-feira, 4...

Novos contos do continente africano

Por ocasião da Feira do Livro e Imprensa Infantil de Montreuil, e da temporada África 2020, close-up de uma coleção de contos intitulada "Babel...

África discute implementação da Zona de Comércio Livre

Os Chefes de Estado ou de Governos africanos reúnem, amanhã, na 13ª sessão extraordinária, dedicada à implementação da Zona de Comércio Livre Continental Africana...

Combustíveis: Angola subvenciona consumo de vizinhos

Os contribuintes angolanos subvencionam o consumo de combustíveis em países vizinhos, segundo afirmou a ministra das Finanças, Vera Daves de Sousa, na quinta-feira à...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.