- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Portugal Vítor Bento. “Não partilho da visão oficial de sucesso do ajustamento externo”

Vítor Bento. “Não partilho da visão oficial de sucesso do ajustamento externo”

De acordo com Vítor Bento, o investimento externo “está feito à custa de um equilíbrio interno”

(Foto: Lusa)
(Foto: Lusa)

O economista, e presidente da SIBS, Vítor Bento, disse hoje que o ajustamento externo de Portugal nos últimos anos foi “considerável”, mas não partilha da visão oficial de “sucesso”, pois uma economia com 15% de desemprego não é equilibrada.

“Acho que conseguimos um ajustamento externo considerável e notável, mas não partilho da visão oficial do sucesso do ajustamento externo, porque com 15% de desemprego não podemos considerar que a economia esteja equilibrada”, afirmou Vítor Bento.

O responsável falava durante a sua intervenção no 20.º encontro da Sociedade de Avaliação de Empresas e Risco (SaeR), que hoje decorre em Lisboa, com o tema ‘A Nova Economia e as Novas Formas de Financiamento’, no qual foi feito um tributo ao fundador da SaeR, professor e antigo ministro Ernâni Lopes.

De acordo com Vítor Bento, o investimento externo “está feito à custa de um equilíbrio interno”.

E “para recuperar o equilíbrio interno provavelmente teríamos de entrar em desequilíbrio externo”, disse.

Vítor Bento passou em revista a situação económico-financeira de Portugal e recuou à década de 1960 para concluir que desde então “o emprego produtivo não variou” e “é praticamente o mesmo” com o que se verificou em 2013.

O economista falou sobre a realidade de Portugal desde a entrada para a União Europeia, destacando a baixa criação de emprego e o fraco investimento, mas foi no contexto da zona euro que Vítor Bento considerou “muito medíocre” o desempenho do país, sobretudo de 1999 a 2013.

“Temos que resolver esta questão, há década e meia que estamos a estagnar e isso está a levar a uma situação de empobrecimento relativo”, afirmou.

O especialista centrou-se ainda no ‘stock’ de capital por trabalhador empregado, que classificou como “muito mais baixo do que o da média europeia” e explicou que o investimento – “de muito baixa qualidade” – não tem sido suficiente, para repor este ‘stock’ nos últimos dois ou três anos.

Vítor Bento alertou que para repor o ‘stock’ de capital, o investimento tem que ser 18% do Produto Interno Bruto (PIB) e criticou a taxa de poupança “muito baixa”, atualmente na ordem dos 15%, quando esta atingir pelo menos os 20%. (ionline.pt)

- Publicidade -
- Publicidade -

“Banquete” da TPA não satisfaz jornalistas angolanos

Série denunciando alegada corrupção de antigos dirigentes vista com tendenciosa e tentativa de “branquear” o actual governo O “Banquete” – a série da Televisão Pública...
- Publicidade -

Diego Armando Maradona: da Villa Fiorito à glória de um génio

A trajectória de "El Pibe" No dia em que o mundo chora a perda de um dos maiores génios do futebol mundial, recorda-se também uma...

Autoridades angolanas registaram 11 casos de violência contra mulher por dia neste ano

Lançada em Angola campanha de 16 dias de activismo pelo fim da violência contra a mulher Em Angola, as autoridades registaram, pelo menos, 11 casos...

Mercado europeu aberto a produtos moçambicanos

Economista Constantino Marrengula não sabe até que ponto a economia moçambicana está preparada para este desafio. O embaixador da União Europeia em Moçambique diz que...

Notícias relacionadas

“Banquete” da TPA não satisfaz jornalistas angolanos

Série denunciando alegada corrupção de antigos dirigentes vista com tendenciosa e tentativa de “branquear” o actual governo O “Banquete” – a série da Televisão Pública...

Diego Armando Maradona: da Villa Fiorito à glória de um génio

A trajectória de "El Pibe" No dia em que o mundo chora a perda de um dos maiores génios do futebol mundial, recorda-se também uma...

Autoridades angolanas registaram 11 casos de violência contra mulher por dia neste ano

Lançada em Angola campanha de 16 dias de activismo pelo fim da violência contra a mulher Em Angola, as autoridades registaram, pelo menos, 11 casos...

Mercado europeu aberto a produtos moçambicanos

Economista Constantino Marrengula não sabe até que ponto a economia moçambicana está preparada para este desafio. O embaixador da União Europeia em Moçambique diz que...

Governo do Namibe quer melhor avaliação dos projectos

A vice-governadora do Namibe para o Sector Político, Económico e Social apelou, ontem, em Moçâmedes, às administrações municipais a fazerem um melhor acompanhamento dos...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.