InicioAngolaRússia anula autorização para intervenção militar na Ucrânia

Rússia anula autorização para intervenção militar na Ucrânia

(Foto: REUTERS)
(Foto: REUTERS)

A decisão do Senado entra imediatamente em vigor

A câmara alta do parlamento russo anulou hoje, a pedido do Presidente Vladimir Putin, a autorização para uma intervenção militar na Ucrânia, aprovada em março passado.

Apenas um senador votou contra, enquanto 153 aprovaram o pedido de Putin. De acordo com o Kremlin, o objetivo é ajudar “à normalização” da situação na Ucrânia.

A decisão do Senado entra imediatamente em vigor.

“Se o Presidente precisar de recorrer a contramedidas de natureza militar, a comissão de Segurança e Defesa está pronta (…) a tomar em consideração tais propostas”, lembrou o presidente do senado russo, Viktor Ozerov.

Na terça-feira, o Presidente russo, Vladimir Putin, pediu ao Conselho da Federação (câmara alta do parlamento) o levantamento da autorização para intervir militarmente na Ucrânia, aprovada a 01 de março passado.

Putin pediu o prolongamento do cessar-fogo provisório, que devia terminar na quarta-feira.

O chefe de Estado ucraniano, Petro Porochenko, congratulou-se já com este anúncio, sublinhando tratar-se do “primeiro passo concreto” para uma solução da situação no leste da Ucrânia.

Esta decisão surge mais de dois meses depois do início de uma revolta separatista pró-russa no leste da Ucrânia, onde os combates entre o exército e os rebeldes causaram pelo menos 375 mortos.

Os Ocidentais acusam a Rússia de armar a rebelião para desestabilizar esta antiga república soviética, que vai assinar na sexta-feira o último capítulo de um acordo histórico de associação com a UE, afastando-se assim da influência russa.

Moscovo rejeita estas acusações. (ionline.pt)

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.