- Publicidade-
InicioAngolaConfrontos Centenas de talibãs em ofensiva no sul do Afeganistão

Confrontos Centenas de talibãs em ofensiva no sul do Afeganistão

De acordo com o ministério do Interior, cerca de 100 talibãs foram mortos nos confrontos, que coincidem com uma crise política sobre alegadas fraudes nas eleições presidenciais de 14 de junho para designar o sucessor de Hamid Karzai.

(Foto: Lusa)
(Foto: Lusa)

O ataque é revelador dos desafios que vão enfrentar as forças de segurança afegãs no combate aos talibãs após a anunciada retirada das forças da NATO lideradas pelos Estados Unidos no final de 2014.

Responsáveis oficiais referiram que os 800 militantes concentraram os ataques no distrito de Sangin, na província de Helmand, uma região produtora de ópio e palco de intensos combates durante a rebelião talibãs, que se prolonga há 11 anos.

O porta-voz do ministério da Defesa, Mohammad Zaher Azimi, admitiu que os talibãs estão a beneficiar do reduzido poder de fogo das forças de segurança.

“A principal razão (para o ataque) é não possuirmos a cobertura aérea que a NATO fornecia no passado”, reconheceu Azimi em declarações à Tolo TV news.

“Isso forneceu aos talibãs a possibilidade de se movimentarem livremente em diversas áreas e mobilizar forças mais numerosas… mas mesmo sem a ajuda da NATO as forças de segurança rechaçaram este ataque”, assegurou.

O grosso das tropas norte-americanas retirou-se de Sangin em maio, cedendo as suas instalações militares aos soldados e polícias afegãos, agora com total responsabilidade para combater os militantes.

O governador da província de Helmand, Omar Zwak, referiu-se a pelo menos 21 soldados e 40 civis mortos durantes os combates.

Zwak disse ainda que foram enviados reforços para repelir os ataques nos distritos de Sangin, Nowzad, Kajaki ed Musa Qala, onde 2.000 famílias fugiram à violência.  (noticiasaominuto.com)

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.