- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Angola Rússia: Novas provocações da Ucrânia contra a Rússia

Rússia: Novas provocações da Ucrânia contra a Rússia

(Foto: RIA Novosti/Evgueni Kotenko)
(Foto: RIA Novosti/Evgueni Kotenko)

A Ucrânia está provocando a Rússia. Soldados que “se perderam” num blindado na região de Rostov, grupo de delinquentes face à embaixada da Rússia em Kiev e mina “casual” ao lado de uma unidade aduaneira russa… O que se pode esperar do Exército ucraniano? Cujos interesses protege Kiev?

Ao que tudo indica, as esperanças depositadas por muitas pessoas no presidente ucraniano Piotr Poroshenko não se justificaram. Em vez da paz almejada, que Poroshenko havia prometido antes da eleição para o posto de presidente, Kiev está reforçando a retórica militarista. Mesmo o cessar-fogo anunciado pelas autoridades ucranianas não está sendo cumprido. A trégua, em opinião de alguns peritos, é necessária para Kiev apenas para reagrupar suas tropas.

Ao mesmo tempo, a administração ucraniana continua a provocar a Rússia. Vários actos, tais como verde brilhante lançado por delinquentes em Kiev contra a embaixada russa e o lançamento de minas contra uma aduana na região de Rostov, que, felizmente, não fez mortes, não são a melhor opção mesmo para políticos tocados de Kiev, que escolheram agora o agravamento das relações com Moscovo, considera um politólogo, Serguei Panteleev:

“Criando a imagem de inimigo e implantando-a na consciência de ucranianos comuns, é possível acusar facilmente este inimigo de todos os problemas. As pessoas começam a pensar que a culpa é da Rússia que está cortando o gás, envia combatentes e anexa territórios e que tanques russos já estão desbravando terreno ucraniano. As pessoas não imaginam que o próprio Estado se tornou inconsistente e que hoje na Ucrânia não há um poder legítimo de pleno valor. Instituições públicas são destruídas, direitos humanos são violados por toda a parte”.

Decidindo enveredar pela via de provocações, Kiev arrisca-se a levar o país para mais um impasse e a saída dele pode custar novas vítimas. Mas é pouco provável que isso preocupe Piotr Poroshenko ou Arseni Yatsenyuk. Levando em conta sua orientação pró-ocidental e a admiração pela política dos EUA, eles continuarão a cumprir as indicações do Departamento de Estado, adiantou Serguei Panteleev:

“Deste modo, americanos vingam-se da Rússia pelo fracasso na Síria e estão resolvendo assim seus problemas económicos. Estão enfraquecendo as posições da Europa que pode se transformar num sério concorrente geopolítico. Estão enfraquecendo também as posições da Rússia que hoje ganha impetuosamente força por causa do crescimento de novas formações integracionistas no território do espaço pós-soviético. Todas essas acções são mecanismos de manter o controle dos territórios que económica e politicamente são concorrentes. Assiste-se a um grande jogo geopolítico”.

Mas o desenvolvimento do vector ucraniano não é o melhor lance de jogadores americanos. Em opinião de um perito, Alexander Guschin, Washington deixou-se demasiado arrebatado pela imposição do caos administrado na Ucrânia e perdeu da vista terroristas no Iraque.

Hoje Moscovo dá mostras de moderação e apela a que as partes envolvidas no conflito na Ucrânia encetem um diálogo de paz. Kiev, contudo, reage a esta posição como a uma prova de fraqueza. Em opinião de peritos, a Rússia passará em breve para um novo formato de contactos com Kiev, efectuando mais activamente ajuda humanitária ao Sudeste e endurecendo ainda mais as condições de fornecimento de gás.

Neste caso, as autoridades ucranianas, que já começam a irritar mesmo representantes da Guarda Nacional por causa de não-pagamentos salariais, aparecerão perante os cidadãos não assim como as pinta a propaganda ucraniana. (ruvr.ru)

- Publicidade -
- Publicidade -

BCP confirma abertura da Sonangol para avaliar “oportunidades de criação de valor”

O Millennium bcp confirmou ontem quarta-feira que o seu segundo maior acionista, a angolana Sonangol, está atenta a eventuais movimentos de consolidação bancária na...
- Publicidade -

Covid-19. Morreu o antigo presidente francês Giscard d’Estaing

Giscard d'Estaing estava hospitalizado desde meados de novembro. De acordo com a família, o ex-chefe de Estado morreu após complicações devido à Covid-19. O antigo...

Economista Yuri Quixina alvo de assalto à mão armada

O economista e docente universitário Yuri Quixina anunciou na sua página do twitter ter sido hoje, alvo de um assalto à mão armada, quando...

Imunidades de Manuel Vicente vão ser reavaliadas pela PGR

As imunidades que protegem o ex-vice-Presidente angolano, Manuel Vicente, de processos judiciais vão ser reavaliadas pela Procuradoria-Geral da República de Angola, avançou à Lusa...

Notícias relacionadas

BCP confirma abertura da Sonangol para avaliar “oportunidades de criação de valor”

O Millennium bcp confirmou ontem quarta-feira que o seu segundo maior acionista, a angolana Sonangol, está atenta a eventuais movimentos de consolidação bancária na...

Covid-19. Morreu o antigo presidente francês Giscard d’Estaing

Giscard d'Estaing estava hospitalizado desde meados de novembro. De acordo com a família, o ex-chefe de Estado morreu após complicações devido à Covid-19. O antigo...

Economista Yuri Quixina alvo de assalto à mão armada

O economista e docente universitário Yuri Quixina anunciou na sua página do twitter ter sido hoje, alvo de um assalto à mão armada, quando...

Imunidades de Manuel Vicente vão ser reavaliadas pela PGR

As imunidades que protegem o ex-vice-Presidente angolano, Manuel Vicente, de processos judiciais vão ser reavaliadas pela Procuradoria-Geral da República de Angola, avançou à Lusa...

Cantora gospel é agredida pelo marido em pleno shopping no Rio de Janeiro

O cantor gospel Juninho Black publicou em sua conta do Instagram um vídeo onde mostra sua irmã, a cantora Quesia Freitas, sendo agredida pelo...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.