- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Portugal CGTP garante luta contra novas normas para a contratação colectiva

CGTP garante luta contra novas normas para a contratação colectiva

(TIAGO PETINGA/LUSA)
(TIAGO PETINGA/LUSA)

“A contratação coletiva e a efetivação dos direitos que consagra é um pilar da democracia que tem de ser respeitado e valorizado”, defendeu Carlos Silva

O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, garantiu hoje ao Governo, no dia do seu 3º aniversário, que a central sindical tudo fará até 10 julho para impedir a aprovação das novas normas para a contratação coletiva.

“Até 10 de julho, tudo faremos para travar e obstaculizar a aprovação da revisão da legislação laboral, porque queremos impedir que destruam a contratação coletiva”, disse Arménio Carlos aos jornalistas no final da manifestação que ocorreu durante a tarde na baixa lisboeta.

Para o sindicalista, as propostas de lei do Governo que estão no Parlamento, que vão reduzir os prazos de caducidade e de sobrevigência das convenções coletivas, vão destruir a contratação coletiva enquanto garante dos direitos laborais, fator de harmonização social e instrumento de distribuição da riqueza.

“A contratação coletiva e a efetivação dos direitos que consagra é um pilar da democracia que tem de ser respeitado e valorizado”, defendeu.

Na intervenção político-sindical que fez no Rossio perante milhares de manifestantes, o sindicalista deixou um recado ao Governo: esta é uma luta que não parou em três anos de governação e que não vai parar.

Por isso, Arménio Carlos anunciou “um grande Plenário Nacional” de dirigentes e ativistas sindicais para quarta-feira e uma manifestação nacional para 10 de julho, data de debate do Estado da Nação.

A defesa da contratação coletiva, o aumento do salário mínimo para os 515 euros, a melhoria dos salários e pensões, da saúde, da educação e da segurança social e a demissão do Governo são os principais motivos que levaram à marcação de novas ações de luta.

O líder da Intersindical, que criticou a UGT por ter participado num acordo que levou à revisão da regras da contratação coletiva, apelou, no entanto, à unidade de todos os trabalhadores, independentemente de estarem filiados numa ou noutra central, ou em nenhuma delas.

“Está nas nossas mãos e na nossa luta a possibilidade de abrir caminho a uma política de esquerda e soberana que assegure ao povo e ao país um futuro de desenvolvimento, progresso e justiça social”, disse aos manifestantes.

Aos jornalistas, Arménio Carlos disse que a “grande manifestação de hoje em Lisboa, tal como a da semana passada no Porto” confirmam que, após 3 anos de governação do PSD/CDS, “o caminho a seguir é o da intensificação da luta”. (ionline.pt)

por Lusa

- Publicidade -
- Publicidade -

Cantora Maria Lisboa assaltada: “Roubaram-me tudo. Fiquei sem nada”

A cantora Maria Lisboa começou a manhã de sexta-feira deparando-se com uma notícia que a deixou devastada. A loja de roupa que montou e...
- Publicidade -

UNITA pede inquérito parlamentar ao BPC

O grupo parlamentar da UNITA propôs, ao Parlamento, a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) à gestão do Banco de Poupança e...

Terminal petrolífero da Barra do Dande retomado por 700 milhões USD e por ajuste directo

As obras de conclusão do Terminal Oceânico da Barra do Dande vão finalmente prosseguir, por cerca de metade do valor previsto no contrato adjudicado...

Angola na assembleia do Fórum Parlamentar

Uma delegação angolana, chefiada pelo presidente do Parlamento, Fernando da Piedade Dias dos Santos, participa, sexta-feira e sábado, por videoconferência, a partir de Kinshasa,...

Notícias relacionadas

Cantora Maria Lisboa assaltada: “Roubaram-me tudo. Fiquei sem nada”

A cantora Maria Lisboa começou a manhã de sexta-feira deparando-se com uma notícia que a deixou devastada. A loja de roupa que montou e...

UNITA pede inquérito parlamentar ao BPC

O grupo parlamentar da UNITA propôs, ao Parlamento, a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) à gestão do Banco de Poupança e...

Terminal petrolífero da Barra do Dande retomado por 700 milhões USD e por ajuste directo

As obras de conclusão do Terminal Oceânico da Barra do Dande vão finalmente prosseguir, por cerca de metade do valor previsto no contrato adjudicado...

Angola na assembleia do Fórum Parlamentar

Uma delegação angolana, chefiada pelo presidente do Parlamento, Fernando da Piedade Dias dos Santos, participa, sexta-feira e sábado, por videoconferência, a partir de Kinshasa,...

Juristas alertam que imunidades podem esconder criminosos

Debate sobre as imunidades do ex-Presidente José Eduardo dos Santos e do ex-vice-presidente Manuel Vicente sobe de tom. Em determinados círculos políticos, jurídicos e da...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.