InicioMundo LusófonoPortugalMorais Pires passa de homem das contas a homem do leme no...

Morais Pires passa de homem das contas a homem do leme no BES

Amílcar Morais Pires  (Foto: MIGUEL A. LOPES/LUSA)
Amílcar Morais Pires (Foto: MIGUEL A. LOPES/LUSA)

Amílcar Morais Pires, que está na administração do Banco Espírito Santo há 10 anos e tem atualmente a responsabilidade pelo pelouro financeiro, é o nome escolhido para a liderança da instituição, substituindo o histórico Ricardo Salgado.

Morais Pires, 53 anos, é licenciado em Ciências Económicas pela Universidade Católica Portuguesa, tendo subido a pulso dentro do BES, sendo, até 2004, assessor do conselho de administração e coordenador do Departamento Financeiro, de Mercados e Estudos.

Além de ser administrador do BES, o responsável é também membro do conselho de administração do BES Investimento, desde 2005, e faz parte do conselho de administração da Portugal Telecom (PT) desde 2006, estando apontado para integrar a administração da empresa que resultar da fusão entre a PT e a brasileira Oi.

Nascido em Moçambique em 1961, Morais Pires é visto como o braço-direito de Ricardo Salgado, que lidera o banco desde que este voltou à esfera privada, há 23 anos, e é considerado como o banqueiro português mais influente.

Apesar da boa reputação que goza o administrador financeiro, no que toca à frieza dos números, o ano passado foi tudo menos fácil para o BES, que apresentou prejuízos históricos de 518 milhões de euros, depois de ter registado um lucro de 96 milhões de euros em 2012.

Já no primeiro trimestre, o resultado líquido negativo do banco foi de 89 milhões de euros.

Morais Pires esteve na linha da frente do recente aumento de capital do banco superior a mil milhões de euros, concluído com sucesso, numa operação que deu a conhecer vários problemas no seio do Grupo Espírito Santo (GES).

Quando deu a conhecer a operação, o banco liderado por Ricardo Salgado disse que a mesma permitiria ao BES “reforçar a sua base de capital, por forma a potenciar a sua vantagem competitiva na recuperação da economia portuguesa e o crescimento nos mercados internacionais onde está presente” e ainda “criar reservas adicionais de capital”, neste caso para fazer face à nova regulação do setor bancário (CRD IV) e aos testes de ‘stress’ do Banco Central Europeu (BCE).

Porém, o prospeto que deu a conhecer os pormenores da operação, divulgado ao mercado em meados de maio, confirmou a existência de irregularidades graves nas contas da ‘holding’ Espírito Santo Internacional, dando o mote para a reestruturação do grupo que está em curso.

Última nota para o processo judicial em que Morais Pires (a par de José Maria Ricciardi, que também é administrador do BES, além de presidente do BES Investimento) está envolvido na qualidade de arguido.

Em causa está uma investigação iniciada pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), que fez queixa ao Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP), relativa a transações de ações da EDP Renováveis por parte do BES e da seguradora BES Vida feitas na altura do lançamento em bolsa da energética

O atual administrador financeiro do BES é o nome proposto para ser o novo presidente executivo do banco, substituindo Ricardo Salgado, segundo a convocatória para a assembleia-geral da instituição divulgada esta sexta-feira. (jn.pt)

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.