- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Moçambique Moçambique: Conflitos políticos intensificam-se em Nampula

Moçambique: Conflitos políticos intensificam-se em Nampula

(VOA)
(VOA)

Com o aproximar das eleições gerais de 15 de Outubro, na cidade de Nampula, intensificam-se os conflitos políticos, principalmente entre a Frelimo, no poder, e o Governo municipal, eleito pelo Movimento Democrático de Moçambique (MDM), nas eleições de 1 de Dezembro passado.

Na madrugada da passada segunda-feira, o comité da cidade da Frelimo tomou de assalto a Direcção Social do Bairro de Carrupeia, tendo trocado cadeados e içado a sua bandeira, alegando que o mesmo edifício foi construído com fundos do partido.

No mesmo dia, o edil de Nampula Mahamudo Amurane dirigiu-se ao local e apelou para que o assunto fosse tratado de forma pacífica.

Só que na manhã de hoje, a Frelimo fez deslocar ao local centenas de agentes da polícia moçambicana, entre guardas e elementos da Força de Intervenção Rápida (FIR), que dispararam várias balas de borracha e gás lacrimogénio, ferindo muitos cidadãos que exigiam a abertura das portas do edifício para serem atendidos.

A Direcção Social do Bairro é o local onde os munícipes podem tratar atestados de residência e de pobreza, bem como submeter diversos projectos e documentos, isto é, na prática, é lá que se realiza o primeiro contacto com o Conselho Municipal ao nível do bairro.

O presidente do Conselho Municipal da Cidade de Nampula Mahamudo Amurane disse que esta situação dá a entender o total desespero do partido no poder. Aliás, Amurane diz que o gesto mostra igualmente que é a Frelimo que está a fomentar a guerra em Moçambique.

“É a Frelimo que está a incentivar a guerra em Moçambique, lá em Gorongosa, Muchungue e aqui no centro urbano de Nampula. Ela é que tem armas e está a matar”, disse Amurane, perante três centenas de munícipes.

Várias pessoas ficaram feridas e outras desmaiaram no local do incidente.

As populações que vivem nas imediações da Direcção Social de Carrupeia ficaram em pânico e durante várias horas mantiveram as portas das suas residências fechadas.

A sede social de Carrupeia foi construída pelo edil cessante Castro Namuaca com fundos do Conselho Municipal de Nampula.

A policia  ainda não se pronunciou sobre o incidente.

O secretário da Frelimo em Nampula Leonel Namuquita mostrou-se indisponível para falar com a  imprensa, mas comunga a ideia de que a Direcção Social foi construída com fundos do partido. (voa.com)

por Faizal Ibramugy

- Publicidade -
- Publicidade -

Dirigentes do PAIGC denunciam manobras com abertura de processos pelo partido

Vice-presidente Cipriano Cassamá e antigo primeiro-ministro, Artur Silva, convocados pelo Conselho Nacional de Jurisdição e Fiscalização O vice-presidente do PAIGC e presidente da Assembleia Nacional...
- Publicidade -

Rui Malaquias: Modelo económico de Angola está certo

O economista angolano Rui Malaquias considerou, em Luanda, acertado o modelo económico adoptado por Angola desde 1991, apesar de alguns erros na sua implementação,...

Vera Daves admite recuar nas subvenções caso “sinta fragilidades”

A ministra das Finanças, Vera Daves, admite recuar, nalguns casos na intenção de retirar as subvenções às empresas públicas, caso  "sinta fragilidades". "Vamos desacelerar...

O Primeiro passo…

Diversas foram as vezes em que, nesta coluna, critiquei a nossa governação, por esta surgir, muitas vezes, ancorada a um “power-point”, que espera por...

Notícias relacionadas

Dirigentes do PAIGC denunciam manobras com abertura de processos pelo partido

Vice-presidente Cipriano Cassamá e antigo primeiro-ministro, Artur Silva, convocados pelo Conselho Nacional de Jurisdição e Fiscalização O vice-presidente do PAIGC e presidente da Assembleia Nacional...

Rui Malaquias: Modelo económico de Angola está certo

O economista angolano Rui Malaquias considerou, em Luanda, acertado o modelo económico adoptado por Angola desde 1991, apesar de alguns erros na sua implementação,...

Vera Daves admite recuar nas subvenções caso “sinta fragilidades”

A ministra das Finanças, Vera Daves, admite recuar, nalguns casos na intenção de retirar as subvenções às empresas públicas, caso  "sinta fragilidades". "Vamos desacelerar...

O Primeiro passo…

Diversas foram as vezes em que, nesta coluna, critiquei a nossa governação, por esta surgir, muitas vezes, ancorada a um “power-point”, que espera por...

Adalberto Costa Júnior: «O País que temos hoje não é o sonho dos nacionalistas de ontem, e não tenho dificuldades de ir buscar Agostinho...

O plano estratégico do MPLA, que olha para o presidente do «galo negro» como «alvo a combater até à exaustão», a visão da UNITA...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.